Estudantes estão amedrontados com o futuro da Casa dos Estudantes de Ipirá (AEIPI), em Salvador

“AEIPI, desafios e perspectivas” foi o tema do debate promovido pela Casa dos Estudantes de Ipirá, neste sábado 31 de março, as 15 horas, na sede da APLB sindicato, em Ipirá (BA).

Na oportunidade foram tratados os problemas que a AEIPI, localizada em Salvador, na Rua Futuro do Tororó, vem enfrentando e quais serão os próximos passos na luta pela sua reconstrução. O tema central da pauta de discussão foram os desafios da instituição com a gestão municipal.

No encontro, foi debatido o descaso com que o prefeito do município, Marcelo Brandão, que foi convidado para o encontro mas não compareceu, está tratando uma instituição pertencente ao município. Instituição que existe há quase 5 décadas (47 anos) e que tem contribuído com o engrandecimento de Ipirá. Onde suas portas sempre estiveram abertas para pobres e ricos, sendo o principal critério para se aceitar o cidadão ipiraense como residente é que ele seja de Ipirá. Lembrando que entre os seus ex-residentes encontra-se ex-prefeitos, Médicos, Advogados, Agrônomos, Veterinários, Odontólogos, Jornalistas, Analistas Clínicos, Professores, Engenheiros, Comerciantes e Empreendedores do setor educacional, sendo que a grande maioria reside em Ipirá.

Da discussão, ficou evidente que a AEIPI é o maior patrimônio cultural que a comunidade Ipiraense possui, pela sua contribuição a formação de seus cidadãos, pelo que tem feito e faz. “A casa dos estudantes foi e é o ponto de apoio dos sonhadores ipiraenses de ontem, de hoje e amanhã. Tenho certeza que a casa foi decisivo como ponto de apoio em momentos fundamentais na construção dos sonhos de muitos, hoje formados e posicionados política e economicamente dentro de nossa sociedade”, disse um dos presentes.

OS ESTUDANTES ESTÃO AMEDRONTADOS COM O FUTURO DA AEIPI

Segundo os estudantes, no momento, os residentes estão sem receber dinheiro para comida, para água e para luz. E a água foi cortada por atrasos no pagamento, e eles estão tendo que pagarem dos seus bolsos a carros pipas para fornecerem água ao prédio que residem.

Ainda segundo os estudantes, eles (residentes) enfrentam grandes dilemas com o poder público, que tem criado dificuldades para ajudar. O prefeito Marcelo, sempre coloca dificuldades para discutir os problemas, marcando encontro, mas na última hora sempre inventando uma desculpa para não concretizar a reunião anteriormente marcada.

OS ESTUDANTES ESTÃO AMEDRONTADOS COM O FUTURO DA AEIPI. Pedem socorro e o apoio da comunidade; buscam a participação dos vereadores, pais dos estudantes e dos ex residentes na luta para a reconstrução da Casa dos Estudantes de Ipirá em Salvador.

O encontro contou com a presença de jornalistas, alguns poucos ex residentes, com o vereador Deteval Brandão, e com a maioria dos residentes. Lembrando que o deslocamento dos residentes, de Salvador para Ipirá é sempre um sacrifício, pois além de estudarem os estudantes em sua maioria trabalham.

ALGUNS IPIRAENSES QUE FORAM RESIDENTES DA CASA DOS
ESTUDANTES DE IPIRÁ

Ademildo Almeida (Médico – ex-prefeito)
Agildo Barreto (Professor – Historiador)
André Luis Silva ( Enfermagem -Vereador)
Antônio Almeida (Engenheiro)
Antônio Colonnezi (Médico – ex-prefeito)
Arismário Sena (Professor)
Dinovaldo Dantas (Comerciante)
Eduardo Colonnezi (Agrônomo)
Elofilo dos Santos (Veterinário)
Eridson Mendes (Odontólogo)
Florivaldo Mendes (Advogado)
Genecarlos Santiago (Advogado)
Jolival Soares (Bioquímico)
Juscelino Carneiro (Veterinário)
Moises Colonnezi (Veterinário)
Orlando Santiago Mascarenhas (Jornalista)
Rodrigo Santana Costa – (Professor – Poeta )

ENTENDA O QUE VEM ACONTECENDO COM A CASA DOS ESTUDANTES DE IPIRÁ (AEIPI), EM SALVADOR

A casa, localizada em Salvador, na Rua Futuro do Tororó, está desmoronando. Os estudantes estão preocupados. Os residentes lembram que um Termo de Compromisso (mostrado abaixo) foi assinado no dia 05/04/2017, onde o prefeito do município Marcelo Brandão assinou o documento, juntamente com dois vereadores, prometendo começar as obras assim que os estudantes desocupassem a casa, sendo que a casa reformada seria devolvida aos estudantes no máximo em um ano, a partir da data da assinatura do Termo de Compromisso (05/04/2017).

Outra casa foi alugada, e os estudantes desocuparam o prédio que está desabando. No entanto, desde a assinatura do Termo, já se passaram quase onze meses, e a obra está parada e sem previsão de quando será iniciada, além de que o prefeito tem criado dificuldades de encontros e diálogos com os residentes.

Para desespero dos estudantes, nos últimos meses o prefeito Marcelo Brandão vetou os recursos aprovados pelos vereadores, que destinaria a quantia de um milhão de reais do orçamento municipal de 2018 para a reconstrução da Casa dos Estudantes em Salvador.

Veja abaixo, o Termo de Compromisso assinado pelo prefeito Marcelo Brandão, em 04/04/2017. No termo o gestor municipal compromete-se em concluir a reforma da Casa
dos Estudantes no prazo de um ano, prazo este que vence no dia 04 de abril de 2018.