Vaza selfies de policiais civis sorrindo com traficante Rogério 157

Após a prisão do traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, policiais civis do Rio de Janeiro tiraram selfies em que aparecem sorrindo ao lado do criminoso e postaram as imagens em redes sociais, exibindo o criminoso como troféu. As fotos ocorreram na Cidade da Polícia, na zona norte da capital fluminense, onde ele foi autuado e presta depoimento ainda na manhã desta quarta-feira (6).

Em uma das imagens, ao menos seis policiais diferentes, fardados e armados, aparecem sorrindo ao lado do traficante, que está sentado em uma cadeira e algemado. A primeira selfie ocorreu ainda no carro da polícia, quando 157 era levado para a delegacia. A foto viralizou entre policiais civis e militares.

Em entrevista, o delegado Gabriel Ferrando, que comandou a operação que levou à prisão do traficante e que parece ser o autor da selfie tirada dentro do carro da polícia, disse que excessos estão sendo corrigidos.

“Policiais comemoraram, alguns até se exaltaram. Uma comemoração de toda a cidade. Acredito que seja mais uma explosão, não acho certo, mas foi uma explosão de uma vitória. [Os policiais que aparecem nas imagens] Vão responder na Corregedoria [da polícia]”, declarou.

Em entrevista coletiva. o secretário de Segurança do Rio, Roberto Sá, também comentou as imagens e disse que o Rogério 157 é um dos 4.000 criminosos que a polícia prende todos os meses e que não se deve “glamourizar criminosos”.

“Houve uma euforia [com a prisão], uma alegria muito grande e é possível que, pelas fotos, tenha passado do ponto”, declarou. “Mas a gente tem que compreender a euforia e reprovar qualquer tipo de atitude que possa glamourizar esses criminosos”, concluiu.

Em nota, a chefia de Polícia informou que “já foi instaurada uma sindicância administrativa na corregedoria interna para ouvir os todos policiais que aparecem nas ‘selfies’ com o preso Rogério 157, com o objetivo de analisar a conduta disciplinar dos agentes.”

Segundo o advogado Ariel de Castro Alves, membro do Condepe (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana) de São Paulo, as fotos tiradas pelos policiais atenta contra o princípio da dignidade da pessoa humana.

De acordo com os direitos e deveres individuais e coletivos, previstos na Constituição Federal, “é assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral” e “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”.

“Pela lei do abuso de autoridade, esta ação pode gerar multa, detenção de 10 dias a seis meses e até demissão do agente público. Acaba também sendo uma espécie de apologia ao crime também, já que os agentes policiais tratam o criminoso como uma celebridade”, complementou o advogado, que também faz parte do conselho de política criminal e penitenciária de SP.

Rogério 157 não ofereceu resistência
Rogério 157 é apontado como chefe do tráfico de drogas na favela da Rocinha, na zona sul, e considerado um dos criminosos mais procurados do Estado. A captura dele ocorreu durante operação integrada realizada nesta manhã pelas polícias civil, militar e federal, com apoio das Forças Armadas, no morro da Mangueira, na zona norte.

Fonte: Uol

Comentários