S.O.S. CASA DOS ESTUDANTES DE IPIRÁ!



O prefeito Marcelo Brandão quebrou o gelo e recebeu em seu gabinete os estudantes ipiraenses que residem em Salvador. O prefeito agiu corretamente e de forma democrática ao conceder audiência e manter uma conversa aberta, reta e livre com os estudantes, olhando nos olhos, de forma respeitosa. Muito bem prefeito! 

A Câmara de Vereadores cumpriu um papel interessante nesse episódio, porque fez o meio de campo entre os estudantes e o prefeito, fazendo com que a porta do gabinete do Executivo fosse aberta aos estudantes para o diálogo. A Câmara de Vereadores pode ter um papel muito mais importante e significativo junto a comunidade ipiraense.

O prefeito Marcelo Brandão, na audiência, enxugou o gelo. Não apresentou uma solução para o problema da residência dos estudantes em Salvador. Foi enfático ao dizer que não vai promover nenhuma reforma na Casa dos Estudantes, enquanto não fizer a reforma da PRAÇA do Mercado, que é a sua prioridade.

Empurrou o problema com a barriga, lá para frente, no meu entender, no colo do próximo mandato ou prefeito (2020). Vê se pode? O prefeito atual está cozinhando um galo de 46 anos com vela. O prefeito Marcelo Brandão deu mostra, claramente, nesta conversa, de que Ipirá está estancada, que nem jegue na frente de carreta. Jacu & macaco quebraram Ipirá literalmente.

Primeiro ponto, Ipirá não tem condições de tocar duas obras prioritárias, com recursos próprios, ao mesmo tempo. No dizer do prefeito Marcelo Brandão, ou uma ou outra; primeiro uma, depois a outra. Um município que recebe dez milhões por mês chegar a esse ponto é ficar com a cuia na mão. O que está acontecendo com o dinheiro público do município? Essa turma do jacu & macaco colocou Ipirá no redondo do calango.

Segundo ponto, trata da prioridade do prefeito Marcelo Brandão, que é fruto da sua cabeça, de uma pirotecnia da presunção do desejo do prefeito e não da realidade concreta de Ipirá, da necessidade real da sociedade ipiraense. Entenda a situação: o Mercado de Arte pega fogo e cai no colo do prefeito, que não tem recursos públicos municipais para fazer a reforma do mercado aí, num passe de mágica, num sonho mirabolante, o gestor botou na cabeça que vai fazer a requalificação da Praça do Mercado e não somente a reforma do mercado. Triplicou o problema.

Na realidade, a reforma da casa em Salvador sobrou para o atual gestor. A Casa dos Estudantes representa o prosseguimento e aperfeiçoamento educacional da juventude popular de Ipirá nas universidades da capital. Trata-se de EDUCAÇÃO em nível superior. Aí o gestor municipal de Ipirá deixa o gelo derreter, a casa não terá a reforma e não receberá nenhum estudante no próximo ano. Para os próximos anos, não se sabe bem o que teremos pela frente, vislumbra-se a certeza da incerteza, porque a prioridade do prefeito é fazer o maior espaço público de eventos do interior da Bahia.

Entre a educação e eventos; a preferência do gestor é pela requalificação da Praça do Mercado, que se tornará um ‘salão de festa’, mesmo sem ter recursos para fazê-lo, nem mesmo, estaduais ou da União. Aí, a administração de Marcelo Brandão tem a gestação de dois grandes problemas gêmeos e poderá entrar em estado de eclampsia e terminar em coma ou morte se, em três anos, não realizar as reformas do Mercado de Arte e da Casa dos Estudantes e deixar dois entulhos como herança maldita.

A reforma da casa sucumbirá com o entulho das paredes caídas, porque o dinheiro público de Ipirá será aplicado na feitura deste ‘salão de festas’ e depois, em EVENTOS para justificar a existência e a necessidade desse salão de festas. Será o efeito dominó: para não ser uma coisa inútil, vai ter que fazer uma festa atrás da outra.

É uma situação complicada e o gelo vai derreter dessa maneira. O dinheiro público de Ipirá será jogado fora ao encher os bolsos de cantores famosos e espertalhões que farão as contratações, enquanto a sociedade padece. Será um rio de desvio de dinheiro público. E o pior! Tudo em nome da altivez e pela arrogância de um gestor.
A luta dos estudantes carentes de Ipirá será longa. É chegado um momento de conscientização, mobilização e luta para garantir os direitos da juventude popular e carente de Ipirá.

Coloco duas sugestões para apreciação dos estudantes: 1. Que os estudantes mantenham-se em Assembléia Permanente, até que suas reivindicações sejam atendidas pelo Poder Público; 2. Que os sábados e domingos, em Salvador, na residência atual (alugada), sejam utilizados para informações, conversas, palestras, debates, seminários, etc, envolvendo a participação de ex-residentes e simpatizantes da causa.

Aproveito para fazer um apelo aos ex-residentes. A situação é grave e preocupante. É necessário arregimentar forças em prol da causa da Casa dos Estudantes. Seria interessante que ex-residentes e simpatizantes fossem até a residência alugada (rua Teodoro Sampaio, 163, Barris, a rua do Salete) para receber informações e prestar solidariedade.

Seria interessante que todo ex-residente fizesse uma declaração de apoio a residência, por escrito ou em vídeo, é só gravar no celular e jogar na rede. Se quiserem mim dá essa honra, farei questão de fazer a postagem neste blog, bastando para tal, colocá-la em “comentários”, no final da postagem do blog.

Por Agildo Barreto

BAIXE NOSSO APLICATIVO