A história de uma guerreira ipiraense

A atleta Maria Dias, natural do povoado do Ipirazinho em Ipirá, filha de família humilde despertou sua paixão pela bola na infância, quando sua carreira teve início no projeto Dançar a Vida. Seus primeiros passos jogando futebol começou com os educadores, Jurandy Costa, Jucinelia e Ângela, através do projeto implantado no povoado do Ipirazinho e no bairro Vinte de Abril.

O projeto que tem a coordenação da Paróquia Senhora Santana de Ipirá, teve início através do padre Marco Ferrari. Maria começou sua trajetória com 7 anos de idade, devido a condição financeira do projeto, as meninas jogavam futebol descalças, mas isso não era pretexto para elas pararem de sonhar. Hoje depois de muita garra e determinação aí está a resposta de que; quando a gente quer a gente consegue.

CONQUISTAS:

Maria foi em busca do seu sonho, tornando-se Bicampeã baiana jogando pela equipe de São Francisco do Conde e artilheira do Baianão.

Não satisfeita, Maria foi mais longe, mostrar o seu futebol em São Paulo, onde neste sábado (07), sagrou-se campeã paulista 2017 de futebol feminino, jogando pela equipe de São José do Rio Preto. Aquela menina simples do Ipirazinho está sendo conhecida nacionalmente no futebol feminino,

Maria Dias é hoje a primeira mulher natural de Ipirá a ganhar um título jogando futebol dentro e fora do Estado. Parabéns Maria Dias.

Atualmente o projeto tem a coordenação do padre Gabriel Burani que continua o trabalho de esportes e cultura no Dançar à Vida.

“Nunca deixe de sonhar, pois no nosso município existe muitas Marias precisando de apoio para voarem também. Parabéns”. Disse oi padre Gabriel Burani.

Caboronga Notícias com informações e imagem de Jurandy Costa.