A mentira sobre vídeo em que MST aparece destruindo torres de energia de fazendeiros na Bahia



O vídeo surgiu com força nas redes sociais na primeira semana de novembro de 2017 e nele podemos ver um grupo destruindo o que parece ser uma central de distribuição de energia. O texto que acompanha as imagens amplamente compartilhadas afirma que o grupo é composto de integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e que eles estariam destruindo as torres de energia de fazendeiros que não produzem, na Bahia!

Estaria mesmo o MST destruindo as torres de energia dos fazendeiros?

Será que isso é verdade ou mais uma farsa da web?

Verdade ou mentira? 

O vídeo é real, mas a história é falsa…

Uma busca nas redes sociais e podemos perceber o fato teria ocorrido em diferentes regiões do Brasil, de acordo com cada publicação. Alguns sites afirmam que esse vandalismo aconteceu na Bahia, outros dizem que aconteceu no Rio Grande do Sul, no Paraná etc…

Acontece que não há nenhuma bandeira ou marca comprovando que se trata mesmo do MST.

A verdade mesmo é que esse vídeo foi gravado no dia 02 de novembro de 2017, numa cidade baiana chamada Correntinha e nada tem a ver com o Movimento dos Sem Terra. Um grupo de pequenos agricultores da região invadiu a fazenda Rio Claro, da empresa Lavoura e Pecuária Igarashi Ltda.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia afirmou que a queixa dos ribeirinhos é a de que o sistema de irrigação da fazenda reduziu o nível do Rio Arrojado, o que está causando prejuízos às suas lavouras.
Não há nenhuma menção ao MST nas notícias a respeito dessa invasão! De acordo com o Correio 24 Horas, a destruição na fazenda causou um prejuízo de mais de 10 milhões de reais!

Conclusão

O vídeo que mostra um grupo de pessoas destruindo uma rede de energia não tem ligação com o MST! Trata-se de um grupo de manifestantes que invadiu uma fazenda para protestar contra o sistema de irrigação usado na lavoura da Igarashi Ltda!

Por E-farsas.com

Participe de nosso grupo de WhatsApp clicando aqui.

BAIXE NOSSO APLICATIVO