Vereadores de oposição realizam vista surpresa ao hospital municipal de Ipirá

Objetivando apurar denuncia com relação a alimentação servida no hospital municipal de Ipirá, no final da manhã desta quarta-feira (03), os vereadores Weima Fraga (PDT) e Carlinhos Simas (PP) compareceram aquela unidade de saúde onde constataram de perto o foco da denúncia.

Segundo o vereador Weima, ele e o colega Carlinhos ainda que sob protestos de alguns funcionários tiveram acesso as instalações da unidade hospitalar onde constataram a falta de alimentação adequada para os pacientes e funcionários.

“Nós fomos até a cozinha do hospital e a servidora responsável pelo preparo da alimentação se negou a mostrar o que estava em duas panelas. Fomos até a nutricionista responsável e ela nos informou que estava servindo arroz, frigideira, macarrão e feijão, conforme foto acima. No entanto, ela nos informou que a alimentação para hoje não era suficiente para atender a todos e que dois servidores seriam atendidos pela empresa que fornece alimentação para a UPA” Disse o vereador Weima.

O que motivou a ida dos edis ao hospital foram denúncias dando contas que a alimentação servida aos internados e funcionários era farinha com “ovo”. Na visão do vereador, o ovo era servido em forma de omelete apenas para os pacientes, enquanto funcionários estão preferindo almoçar em casa.

Pessoas ligadas a administração municipal postaram nas redes sociais que os vereadores tocaram o terror no hospital, assustando crianças e pessoas que estavam sendo atendidas por médicos. Só que, os atendimentos de urgência e emergência são realizados na UPA e o hospital só funciona para internamento e cirurgias.

O que mais chamou a atenção dos vereadores foi a forma como estão internados certos pacientes, em ambiente sem ventilação e muito quente, em salas que até os aparelhos de ar condicionado quebrados.

Após a visita dos vereadores, postaram nas redes sociais fotos com certa quantidade de quentinhas no hospital o que para os vereadores, foram entregues pela empresa fornecedora da UPA, o que atesta que a alimentação do hospital além de ser pouca quantidade, não serve um cardápio variado no dia a dia.

“Vale ressaltar que o vereador é um fiscal do povo e tem acesso livre a qualquer repartição pública do município, no exercício de sua função. Não tocamos terror e muito menos fomos arbitrários. Alguns funcionários ficaram agitados e nervosos com a nossa presença. Nós penas cumprimos com nossa missão de agente fiscalizador” disse o vereador Carlinhos.

Do Caboronga Notícias com informações e foto dos vereadores Weima Fraga e Carlinhos Simas