“Não quero fazer fanfarra com o poder público municipal”, diz Marcelo Brandão

Uma obra interminável, com uma burocracia sem fim. Anos e mais anos (mais de vinte), à espera de um desfecho. Muitas administrações deixando para a próxima seu desenlace para funcionamento. Até novelinha literária, já com vários capítulos, ela ganhou. Essa obra é o matadouro de Ipirá, localizado às margens da BA-052, sentido Baixa Grande.

O prefeito Marcelo Brandão falou em “viés técnico” para solucionar o problema. “Fui pra Caixa Econômica, na superintendência, para destravar o projeto, e entregar efetivamente o matadouro a Ipirá”, disse em conversa no Conexão Chapada, no último dia 06. O prefeito fala que utilizou recursos próprios para concluir o projeto de acordo com o que a Caixa queria, e esta, enfim, fez a liberação. A Câmara já votou projeto autorizando a terceirização do equipamento público.

Há, porém, desacordo nessa etapa de licitação, conforme o que já foi anunciado pelo governo. Na conversa do último dia 06, o prefeito informou que “provavelmente este mês”, estaria lançando o edital para licitação do matadouro. Entretanto, no Papo Reto do dia 08/12 do ano passado, o prefeito anunciou que estava preparando o edital e que iria “publicá-lo segunda ou terça-feira”. No caso, dia 11 ou 12 do mês de dezembro do ano passado. Mas não o fez.

“A empresa vencedora, vou trazer aqui no programa pra se apresentar à comunidade, e no prazo mais curto, 6 ou 8 meses, a gente inaugurar o matadouro. O edital de licitação tá pronto”, garantiu à época o gestor. Agora, mais de 90 dias depois, fala numa possível publicação do edital ainda nesse mês de março, daquilo que supostamente estaria pronto desde dezembro, conforme anunciou.

Marcelo Brandao continuou: “Eu não quero fazer fanfarra com o poder público municipal. Não quero fazer exposição da minha figura, como acontece sistematicamente. O sujeito dizer ‘vou fazer isso, vou fazer aquilo’. Não. Nós estamos botando o dedo na ferida”, finaliza.

Mídia Ipirá Por Diogo Souza