Ministério Público de SP abre inquérito para investigar Alckmin por improbidade administrativa



Ministério Público de São Paulo abriu nesta sexta-feira (20) um inquérito civil para investigar o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB).

O inquérito apura suspeita de prática de atos de improbidade administrativa por caixa 2, com o pagamento pelo grupo Norberto Odebrecht de vantagem indevida ao ex-governador Geraldo Alckmin.

A suspeita é que o pagamento tenha tido a participação, a título de caixa 2, de Adhemar César Ribeiro, cunhado de Alckmin, e Marcos Monteiro, que foi secretário de Planejamento na gestão do ex-governador e atualmente chefia a pasta do Desenvolvimento Econômico no governo de Márcio França.

O inquérito do MP também investiga se Alckmin deixou de declarar à Justiça Eleitoral R$ 2 milhões para a campanha de 2010 e R$ 8,3 milhões para a campanha de 2014.

Alckmin foi citado por três delações da Lava Jato por ter supostamente recebido R$ 10 milhões.

A portaria do inquérito aberto nesta sexta-feira foi assinada pelos promotores Otávio Ferreira Garcia, Nelson Luis Sampaio de Andrade e Marcelo Milani.
Por meio de nota, a assessoria de imprensa do ex-governador informou que Alckmin “vê a investigação de natureza civil com tranquilidade e está à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos”.

A nota também diz que Alckmin tem “total consciência da correção de seus atos”. A Odebrecht informou, também por meio de nota, que “está colaborando com a Justiça no Brasil e nos países em que atua” e que “já reconheceu os seus erros”.

Fonte: G1

Participe de nosso grupo de WhatsApp clicando aqui.

BAIXE NOSSO APLICATIVO