PSDB expulsa prefeito suspeito de estuprar menina de 8 anos



O PSDB divulgou uma nota nesta segunda-feira (23) informando que expulsou sumariamente o prefeito interino de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo do partido após prisão dele por suspeita de que ele tenha estuprado uma menina de 8 anos em Bauru (SP), no sábado (21).

O advogado do prefeito, Humberto Pastrello, disse ao G1 que no momento a defesa não vai se manifestar sobre o caso.

Na nota, o partido ainda acrescenta que “se solidariza à família da vítima e espera que o caso seja esclarecido e o culpado severamente punido”.

Paulo Henrique foi eleito vereador pelo PSDB nas últimas eleições de 2016 e como presidente da Câmara ele assumiu a prefeitura de Bariri em janeiro de 2017 após os candidatos a prefeito e vice mais votados terem a candidatura cassada com base na Lei da Ficha Limpa. Novas eleições estão marcadas para o dia 3 de junho.

Paulo Henrique teve a prisão preventiva decretada pela Justiça após audiência de custódia realizada neste domingo (22). Ele foi encaminhado para a Penitenciária de Iaras onde deve permanecer durante as investigações.

Após a sessão extraordinária nesta manhã, ficou decidido que o atual presidente da Câmara, Vagner Matheus Ferreira (PSD) irá assumir o cargo do chefe do Executivo de Bariri.

Como o prefeito tem foro especial, o caso será encaminhado para o Tribunal de Justiça de São Paulo, que vai definir se as investigações continuam com a Polícia Civil. Em nota, a assessoria de imprensa da prefeitura informou que o executivo e o legislativo só vão se manifestar após um parecer da Justiça Eleitoral sobre o caso.

Estupro de vulnerável

Na manhã de sábado, ele foi preso em flagrante após ser localizado por policiais militares em bairro de chácaras na zona leste de Bauru (SP). No mesmo local um pouco mais cedo, a menina de 8 anos foi encontrada andando na rua por um casal de moradores que a levaram para casa, bairro José Regino.

Os familiares da criança já tinham acionado a polícia, porque testemunhas viram um homem, em um carro preto, abordando a criança e a colocando no carro.

De acordo com eles, a menina tinha saído para comprar pão em padaria próxima da casa onde mora e o suspeito teria se passado por um policial à paisana e dito que um criminoso estava solto no bairro para tentar convencer a menina entrar no carro.

“As vizinhas viram. Diz que ela parou, começou a gesticular e conversar. Nisso ele desceu, pegou a criança e colocou no carro. Travou com o vidro escuro e foi embora a milhão”, afirma uma prima da criança.

A criança teria conseguido fugir do suspeito quando o carro caiu em uma vala em uma estrada de terra.

O empresário Luis Henrique Souza, que junto com a esposa encontrou a criança chorando, afirma ter estranhado vê-la sozinha andando tão cedo na rua. Ele conta ter pedido para a mulher perguntar se a garota estava bem.

“Chacoalhando a cabeça, [ela] disse que não. Então, nós perguntamos o que havia acontecido e ela disse que um homem havia a levado para o mato. Isso foi o suficiente para colocarmos ela no carro. Queríamos tranquilizá-la porque vimos que estava bem transtornada e perdida.”

A menina e o prefeito foram levados para a Unidade de Pronto-atendimento do Jardim Bela Vista para realização de exames de corpo de delito. De lá, seguiram para a delegacia, onde o caso foi registrado como estupro de vunerável consumado.

O laudo que vai comprovar se houve conjunção carnal deve sair em até 30 dias. O Conselho Tutelar já está acompanhando o caso para dar todo o suporte necessário para a menina.

No carro do prefeito também foi encontrado um cigarro de maconha e a CNH apresentada por ele está vencida desde outubro do ano passado.

Novas eleições

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) marcou para 3 de junho as novas eleições para prefeito e vice-prefeito de Bariri. Após o pleito de 2016, os candidatos a prefeito e vice da chapa mais votada – Francisco Leoni Neto e Benedito Mazotti, ambos do PSDB – tiveram o registro indeferido com base na Lei da Ficha Limpa.

Em junho do ano passado, os políticos barrados tentaram voltar ao cargo, mas o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou recurso proposto por Francisco Leoni Neto.

Fonte: G1

Participe de nosso grupo de WhatsApp clicando aqui.

BAIXE NOSSO APLICATIVO