Câmara aprova projeto de concessão de bens públicos em Ipirá e gera clima de incerteza na população

Aconteceu na tarde desta quinta-feira (24) em sessão extraordinária da Câmara de Vereadores de Ipirá a segunda e última votação do Projeto de Lei nº 311/18 que autoriza o Executivo Municipal terceirizar o Mercado de Artes e o Centro de Abastecimento. O referido projeto foi colocado em primeira votação na sessão ordinária da última terça-feira (22) e sua aprovação necessitava de 2/3 dos vereadores o que corresponde a 10 votos favoráveis. Como a bancada de situação é composta de oito vereadores, a surpresa, no entanto, ficou por conta dos vereadores Jaildo do Bonfim e Benedito do Leite que votaram favoráveis ao projeto.

O voto dos representantes da bancada de oposição gerou uma série de protestos nas redes sociais e também insatisfação entre os colegas de bancada, já que segundo eles, o projeto que prejudica diretamente os pequenos comerciantes dos estabelecimentos mencionados, deixando um clima de incerteza.

Na sessão extraordinária desta sexta-feira, com o plenário lotado o projeto recebeu a votação final pelo mesmo numero de votos da sessão anterior. Após a votação, o clima ficou tenso no local e houve uma forte discussão entre vereadores e manifestantes que lutavam contra a aprovação do projeto.

“A força falou mais alto. A prepotência daqueles que se acham donos do poder mais uma vez oprimiu o mais fraco em Ipirá. Estamos sofrendo desde a noite do dia 20 de novembro de 2016, quando o Mercado de Artes incendiou e com ele se foi todo nosso suor. Até hoje sequer o prefeito se sensibilizou com nossa situação. Mais uma vez nos sentimos derrotados com a aprovação desse projeto que retira de nós qualquer esperança de voltar a exercer nossas atividades no Mercado de Artes”. Disse um artesão.

Além do Mercado de Artes e do Centro de Abastecimento, o projeto também dá direito ao prefeito municipal a terceirizar os quiosques da Praça José Leão dos Santos e outros serviços essenciais do município.

Por Caboronga Notícias