Presidente e Mesa da Câmara se omitem sobre superfaturamento



A denúncia feita por este portal de notícias (tudonews.com.br) é comentada até hoje nas rodas de conversa em Ipirá, cidade na Bacia do Jacuípe a 210 km de Salvador, e nos meios políticos estaduais sobre superfaturamento nas compras da Câmara Municipal da cidade que recebe de duodécimo (verba transferida pela Prefeitura de impostos que o cidadão paga em toda compra) quase R$ 300 mil por mês.

O presidente Divanilson Soares, do MDB, aliado do prefeito Marcelo Brandão, do DEM, e os integrantes da Mesa Diretora, André da Saúde, do PTN, e Paula de Enedino, do PRB, silenciaram diante de fato sério e grave que avilta a integridade e credibilidade da Câmara que tem 15 vereadores com salário mensal de R$ 10.128,89, o que representa 10,6 vezes o salário mínimo do país.

De acordo com a denúncia do site, a Câmara pagou por um litro de água sanitária a quantia de R$ 7,57 quando nos mercadinhos da cidade o preço não ultrapassa R$ 1,99; pelo pinho sol de 500 ml foi paga a quantia de R$ 13,02 e, no varejo, a unidade custa no máximo de R$ 4,10, e por duas caixas de lâmpadas G-light 30W com 10 unidades cada uma, a presidência pagou mais R$ 543,93, ou seja, R$ 27,19 por unidade quando nos mercados o mesmo produto sai o varejo ao máximo de R$ 11,75.

A omissão da Mesa Diretora implica em subserviência e defesa de interesses pessoas e próprios já que ao se manifestar tanto André da Saúde e Paula de Endino poderiam contrariar o presidente que é do grupo do prefeito e a relação ficaria estremecida e poderia afetar indicações (de cargos e serviços) e pedidos feitos a Marcelo Brandão.

Sequer os vereadores da Mesa Diretora tentaram se defender publicamente.

Enquanto isso, nas ruas, as pessoas perguntam em conversas onde está a onde a fonte da ‘água sanitária de ouro’, e do ‘pinho sol de prata’ e porque tanto desperdício com dinheiro público quando Ipirá está carente de saúde, educação, infraestrutura e serviços de qualidade.

Em pronunciamentos na Câmara, vereadores de oposição qualificam a atual gestão de “malamanhada” repetindo termo usado por Brandão por anos quando apresentador na rádio da família e estava fora do poder.

Denúncias de “falta e de merenda estragada”, falta de lençóis, roupas adequadas, alimentação e remédios no hospital e postos de saúde, ruas esburacadas e obras inacabadas, ou sequer iniciadas, marcam o atual grupo no poder.

Argumentam os parlamentares Benedito do Leite, Carlinhos Simas, Caryl Oliveira, Deteval Brandão, Jaildo Bonfim, Marcos de Dadá e Weima Fraga que o slogan “Orgulho de Vier Aqui” serve apenas a publicidade e que até aliados se envergonham do estão vendo no dia a dia da administração municipal de Ipirá.

Por Yancey Cerqueira, Dr. h.c – Radialista DRT/BA 06

Participe de nosso grupo de WhatsApp clicando aqui.

BAIXE NOSSO APLICATIVO