IPIRÁ: SÃO JOÃO E COPA



Uma avalanche de gente da capital invadiu o interior. Na Praça da Inglaterra a tranqüilidade era absoluta e a rua da Bélgica estava em ‘ar de graça’, desfilando em campo. Pense num São João procurado! O de Ibicuí, ‘o que todos esperam o ano todo’. Não deu para contar nos dedos a quantidade de ‘ônibus de ida e volta’. Mais de uma centena de casas alugadas. Meu interesse era o ‘destino Ipirá’.

Na rua da Argentina, se encontrares uma jararaca no meio da rua, não pises no rabo da ‘marvada’, senta-lhe uma cacetada na cabeça para detonar os miolos. A Islândia, que não tem rua em Salvador, deu mole, escorregou na Nigéria e ressuscitou a Argentina. O Messi tem cara de ‘Messias arrependido’ e ‘só ele sabe o que está sofrendo’. Vamos ver o milagre da ressurreição, sem choro e sem lágrimas. São João não deixa de não ser um ‘Messias inveterado, santificado e milagreiro,’ que veio salvar o interior. Santo Antônio de Jesus, Amargosa e Irecê na lista dos mais procurados. Ipirá ta que ta fora da ‘listagem das + mais’.

A rua do Beco do Alemão, no bairro Campo Grande, depois do 7 a 1 não vai virar avenida nunca. O teste não era para cardíaco, mas um teste especial para futebol campeão. Segunda partida; um mata-mata. Último chute; ou sai, ou fica! Ficou. Quem fica assim, não fica de graça. E se sobrar para o México? Não será novidade. 7 a 1 ou Suécia nas oitavas para o Brasil. Ipirá não entra na Oitava Sinfonia nem a pau, mas o público mínimo lotou a Praça da Bandeira. Independente de prefeito ou grupo da politicagem local, esse público mínimo é garantido, mesmo que não seja encontrado ‘destino Ipirá’ na capital.

Chegando à Avenida Brasil e à mercê de uma bala perdida, tudo pode acontecer. A exclusividade da globalidade faz com que se pense de maneira que se quer que seja pensada. Quem levará o título de vedete da Copa? Não precisa bola, basta cabelo. Pelé virou ‘rei da bola’ depois de merecer. Costa Rica, Panamá, Peru e Cia formam uma Série C da Fifa. Ipirá não é uma Série D do São João, embora não tenha um local apropriado para o festejo e uma infraestrutura adequada.

Pela vontade do prefeito Marcelo Brandão seria o maior São João do Brasil. Pura vontade! A Alemanha cresceu no minuto final. A Argentina poderá dar a volta por cima. Ipirá fez um bom São João 2018 e poderá fazer um grande São João em 2019, bastando para tal, que o prefeito Marcelo Brandão acrescente à sua vontade uma pitada de opinião do povo de Ipirá.

Passando o São João, mesmo tendo realizado o melhor São João possível; terminando a Copa, mesmo carregando o caneco; restará as Eleições do Imprevisto de 2018, mesmo apelando para o imprevisível previsto Zé Ronaldo; por incrível que pareça, o prefeito de Ipirá é denunciado ao MPE e vai continuar esquentando os neurônios.

O uso do VAR foi a coisa mais importante da copa. Em Ipirá, o VAR é empregado em corrida de cavalo, quando tem dois concorrentes, um chamado jacu e o outro macaco, é dado o VAR, quem chegar primeiro leva. Pode ser o fim da esperteza na política.

Por Agildo Barreto

BAIXE NOSSO APLICATIVO