Quase seis anos após chegarem a Ipirá, Ambulâncias do SAMU nunca prestaram serviço à população



O município de Ipirá foi contemplado com uma nova ambulância tipo USB e uma Unidade de Suporte Avançado. Para o prefeito Diomário Sá, as novas ambulâncias irão ajudar a salvar muitas vidas em Ipirá. “Nossa cidade tem melhorado no quesito saúde, com reformas dos Hospitais, e dos Postos Médico, não foi uma melhora apenas na estrutura, mas nos serviços também. Com a chegada das duas ambulâncias do SAMU 192, o atendimento à saúde de Ipirá vai melhorar ainda mais, pois a população terá um socorro imediato, o que evitará a perda da vida em muitos casos”, pontuou.

A cerimônia de entrega foi realizada no sábado, 1º de dezembro de 2012, no campo da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), na Cidade Baixa. Estiveram presentes o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o secretário estadual da Saúde da Bahia, Jorge Solla.

No dia 15 de julho de 2015 o jornal A Tarde denunciou o seguinte:

Ambulâncias do SAMU de Ipirá estão paradas desde 2012

No pátio de uma empresa particular de segurança, na Av. Anísio Dultra, município de Ipirá (a 213 km de Salvador), há duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) paradas. E assim elas estão, sem atender nenhum paciente, desde a entrega em dezembro de 2012.

Até novembro do ano passado, os veículos (uma ambulância tipo USB e uma unidade de suporte avançado) estavam no pátio da prefeitura aguardando, segundo a Secretaria da Saúde, pessoal qualificado para executar o serviço.

Segundo o titular da pasta, Gildeon Oliveira da Silva, as ambulâncias foram estacionadas na empresa, que cedeu o espaço, após a ocorrência de um incêndio de veículos que estavam na área da sede da prefeitura, como medida para salvaguardar os equipamentos móveis de saúde.

O secretário disse que a prefeitura já realizou dois concursos para contratação de enfermeiros, médicos e técnicos de enfermagem, mas que não houve o número mínimo de aprovados. A previsão da secretaria era que o serviço estivesse em funcionamento em janeiro último, o que não ocorreu.

Providências

Ele informou que toma providências para retirar as ambulâncias da empresa: “Estamos finalizando a reforma da base do SAMU para acomodar os veículos e a equipe do serviço. Mas o espaço em que as ambulâncias estão agora é seguro”.

Uma central de regulação deveria estar funcionando em Feira de Santana (a 109 km da capital), para atender, além de Ipirá, a Amélia Rodrigues, Riachão do Jacuípe, Baixa Grande, Conceição do Jacuípe, Coração de Maria, Irará, Nova Fátima, Santa Bárbara e Santo Estevão.

De acordo com Reni Alves, chefe de mídias da prefeitura de Feira, a central não funciona porque ainda não foi implantada a regionalização do SAMU.

O prefeito Marcelo Brandão (DEM), em pronunciamento na Câmara de Vereadores de Ipirá, informou que a ambulância de suporte avançado (USA) será devolvida ao Ministério da Saúde. Segundo ele, está faltando apenas o cumprimento de alguns termos burocráticos par a devolução do veículo.

Passaram se as gestões de Diomário Sá, Ademildo Almeida, Aníbal Aragão, Jota Oliveira e agora com o então prefeito Marcelo Brandão completando um ano e meio de governo, a população espera pelo funcionamento essas ambulâncias.

O ex secretário de Saúde Edmilson Sampaio Jones em recente pronunciamento a um programa de rádio informou que sua meta seria colocar a SAMU para rodar em breves dias. No entanto, até então o que se presencia em Ipirá e atendimento sendo feito por Bombeiros Civis sem nenhum veículo compatível para a prática do atendimento.

As ambulâncias que ninguém sabe aonde estão, após cinco anos terem chegado ao município, só gerou despesas sem prestar um único serviço à população.

Fonte: Caboronga Notícias com informações de A Tarde e Ipirá Negócios

Participe de nosso grupo de WhatsApp clicando aqui.

BAIXE NOSSO APLICATIVO