Final da Libertadores é adiada em 1 hora após ataque a jogadores do Boca


Para conter os torcedores do River, a polícia usou gás de pimenta e teria atingido a delegação do Boca

chegada da delegação do Boca Juniors ao estádio Monumental de Núñez, neste sábado (24), palco da decisão da Copa Libertadores, foi marcada por copos e pedras atirados contra o ônibus do time visitante. Para conter os torcedores do River, a polícia usou gás de pimenta e teria atingido a delegação do Boca.

Os atacantes Ábila, Beneddeto e Tevez teriam passado mal nos vestiários do estádio por causa dos efeitos do gás de pimenta, segundo o repórter Fernando Caetano, do Fox Sports.

Por conta disso, dirigentes do clube xeneize defenderam o adiamento da partida.

Membros das Conmebol e dirigentes das equipes estão reunidos nos vestiários, à pedido do Boca Juniors, para definir o caso. A informação foi divulgada pelos canais Fox Sports e TNT, sendo confirmada posteriormente pelo UOL Esporte.

confirmada posteriormente pelo UOL Esporte.

“Nos atiraram de tudo”, disse Cali Izquierdoz, do Boca Juniors, ao Olé. O ex-dirigente do clube Juan Carlos Crespi afirmou: “Nos jogaram gás pimenta, pedras, tudo”. Autor de um dos gols na primeira partida, Benedetto disse: “Jogaram gás de pimenta”.

Alguns jogadores do Boca, como Tevez, Zárate e Emmanuel Más, chegaram ao estádio com os rostos cobertos pela camisa.

É importante lembrar que, assim como no jogo de ida da decisão, a partida terá torcida única, desta vez do River Plate.

Para chegar ao estádio, os torcedores deviam passar por várias barreiras de seguranças, que estão conferindo os ingressos e verificando os dados. A entrada dos torcedores teve correria e confusão. Alguns foram detidos ao tentar ‘furar’ a barreira e ingressar no estádio.

Fonte: Notícias ao Minuto

Participe de nosso grupo de WhatsApp clicando aqui.

BAIXE NOSSO APLICATIVO