Uma pessoa morreu e duas ficaram após uma confusão envolvendo policiais militares em um jogo de futebol amador, no bairro de Portão, em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, neste domingo (20).

Um leitor do BNews enviou o vídeo que mostra parte do ocorrido. As imagens mostram o exato momento que jogadores questionam a presença dos militares, e quando um dos PMs aponta a arma em direção ao grupo.

Procurada pela reportagem, a assessoria da Polícia Militar (PM) informou que, por volta das 11h30, policiais militares da Companhia Independente de Policiamento Tático (CIPT)/ Rondesp RMS realizavam rondas na localidade conhecida como “Pé Preto”, em Portão, quando se depararam com 15 indivíduos armados próximo a um matagal.

A PM explica ainda que, com a aproximação das guarnições, os acusados efetuaram disparos de arma de fogo contra os policiais militares dando início a uma troca de tiros. Após o revide, foram localizados três indivíduos feridos, sendo dois deles socorridos ao Hospital Geral Menandro de Faria. Um deles morreu, já o outro foi regulado para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde ficou sob a custódia policial.

A polícia detalha que, o rapaz, que aparece no vídeo, não foi ferido pela PM. Ele foi alvejado no ombro pelos criminosos. Ele também foi socorrido pela Rondesp até a mesma unidade hospitalar.

Durante a ação, a polícia apreendeu dois revólveres calibres 38, 53 papelotes de maconha, 125 pinos de cocaína, 25 pedras de crack, R$ 189,00 em espécie. O material e a ocorrência foram apresentados à 34ª Delegacia Territorial.

Os policiais que aparecem no vídeo, segundo a assessoria, são da 52ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) e atuaram na ocorrência em apoio às guarnições da Rondesp. A PM acrescenta que eles efetuaram disparos de arma de fogo com a finalidade de conter o grupo que não deixavam as viaturas levar os feridos ao hospital.

A PM ressalta que as informações e o vídeo foram remetidos à Corregedoria Geral da Polícia Militar. As acusações também podem ser formalizadas junto à Corregedoria ou à Ouvidoria (através do site www.pm.ba.gov.br ou do telefone 08002840011) da Polícia Militar, para que sejam investigadas. A identidade do denunciante será mantida em sigilo. Mesmo porque o papel da Polícia Militar está relacionado à manutenção e preservação da ordem pública e à salvaguarda de vidas.

Fonte: Bocão News