Um avião com ajuda humanitária e autoridades ligadas à oposição venezuelana chegou a Boa Vista, em Roraima, no fim da manhã desta sexta-feira, 22, onde a fronteira brasileira com a Venezuela foi fechada por determinação do presidente Nicolás Maduro.

A embaixadora designada pelo líder opositor Juan Guaidó, María Teresa Belandria deve conversar com a imprensa na Base Aérea de Boa Vista para dar detalhes da operação.

A tendência é que alimentos e remédios que a oposição pretende mandar para a fronteira sejam reunidos e enviados para a fronteira madrugada de sábado.

Na quinta-feira, María Teresa já havia adiantado que tanto os caminhões quanto os motoristas que o conduzirão a ajuda do território brasileiro até o país vizinho serão venezuelanos.

Pacaraima
Em Pacaraima, o posto de fronteira entre Brasil e Venezuela amanheceu fechado depois da ordem dada pelo presidente Maduro na tarde de quinta. Apesar disso, algumas dezenas de venezuelanos tentavam cruzar a passagem por trilhas informais chamadas trincheiras.

Guaidó assinou um decreto horas depois da decisão de Maduro pedindo que aos “órgãos do poder público responsáveis (…) que mantenham aberta a fronteira com o país irmão da República Federativa do Brasil”.

Ele também reiterou a disposição da Venezuela “a manter as relações diplomáticas, consulares e de toda ordem com as autoridades das ilhas de Aruba, Curaçau e Bonaire, assim como com as correspondentes autoridades do Reino dos Países Baixos”.

Já o chanceler brasileiro, Ernesto Araújo afirmou que estará na fronteira do Brasil com a Venezuela no sábado para “acompanhar a ajuda humanitária colocada à disposição do povo venezuelano pelo Brasil em cooperação com os Estados Unidos”, segundo mensagem publicada em sua conta no Twitter.

Fonte: Correio

Compartilhe nas redes sociais!