Não pense que é brincadeira, pois não é. A coisa é mais grave do que você pensa; tornou-se paranóia, psicopatia, mais conhecida por loucura e como pergunta o locutor Marcelo Brandão: “errado é quem faz?” Pensando o locutor que o prefeito está fazendo.

O prefeito MB já vendeu/deu a Praça do Mercado. O comprador faz de conta que entra com dinheiro; as máquinas da prefeitura fazem o serviço; a população pagará estacionamento e o município alugará para fazer a festa do São João.

O prefeito MB já vendeu/doou o Centro de Abastecimento. Um projeto do governo faz a cobertura; a prefeitura cerca com muro; uma firma laranja faz de conta que entra com dinheiro e vai cobrar dos barraqueiros para reaver o que não investiu.

Do jeito que a coisa vai, é bem possível que o prefeito MB pense em vender o Parque de Exposição e a Praça da Bandeira para transformá-la numa Zona Azul, para alguma empresa ganhar mais bufunfa. Isso ele não disse, mas eu estou dizendo, porque na realidade do prefeito MB o povo de Ipirá está de boa e tem que pagar grana para uma prefeitura que está falida. Oh, coitado!

Oh, coitado! Porque o prefeito MB disse que no início foi só crise, dificuldade e dor de cabeça, mas agora, é só coisa boa, até o Banco do Brasil está funcionando e fizeram uma solenidade de reinauguração e que o Banco do Brasil vai atender aos comerciantes e aos ambulantes das duas áreas que foram vendidas por doação, a pedido do prefeito. O homem-prefeito está voando nas nuvens.

O que o Banco do Brasil devia ter era vergonha na cara e pedir desculpas ao povo de Ipirá pelos transtornos que a população passou por um tempo além do necessário e suficiente. Não foi fácil para o cliente do banco, de forma que eu faço um apelo veemente a quem interessar possa: “Sr. Ladrão, pelo amor que V. Exa. tenha a sua mãe, não assalte mais a agência do Banco do Brasil de Ipirá, pois a desgraça caiu toda no lombo da população, que pagou o pato e comeu o pão que o diabo amassou. Um grande abraço e felicidade na sua empreitada lá fora.”

Aí o prefeito Marcelo Brandão disse assim: “a realidade é essa!” Vê se você entende? Dizendo ele, que conseguiu um filho chamado Asfalto, que vai morar no centro da cidade e quando o “filho é bonito todo mundo quer ser o pai.” Não é que apareceu um outro pai! O deputado Jurandy Oliveira, dizendo que é o pai do filho, chamado Asfalto. Vão ter que fazer o DNA. O ovo nem saiu do ‘buteco’ da galinha e eles já estão brigando para ver se é frango ou franga.

E o prefeito MB ainda apelou; “que não venha ninguém atrapalhar, pois o filho Asfalto no centro é uma realidade.” Esse disco é conhecido, eu já vi universidade funcionando em Ipirá; matadouro abatendo bengo; 200 km de asfalto, etc, etc e de tal forma que o pai do filho Asfalto só poderá ser resolvido pelo DNA. Vá lá que esse filho Asfalto desapareça? Aí ninguém vai querer assumir a responsa.

Deus, lá no céu, é testemunha de quanta coisa a jacuzada trouxe para Ipirá e a macacada não deixou entrar ou mesmo, que a macacada conseguiu e a jacuzada empombou. Mas vamos resolver esse problema do filho Asfalto, se o pai do dito cujo é o prefeito MB, aí V. Exa. terá mais quatro anos para vender o resto da cidade, afinal de contas asfalto não pode ficar sem patrimônio.

Se o pai do filho Asfalto for o deputado Jurandy Oliveira, aí a coisa complica, porque esse deputado tem 40 anos de mandato e nunca trouxe uma obra para Ipirá a seu pedido, e agora, conseguindo esse filho chamado Asfalto ele vai querer algo em troca, pois o deputado não é de dá prego sem estopa e aí ele vai querer que sua esposa Nina fique quatro anos na prefeitura, como recompensa pelo filho chamado Asfalto. Agora, observe a situação: tem gente que não está gostando nada vezes nada dessa conversa do aparecimento desse filho chamado Asfalto.

Quem é essa turma? Dudy, Anibal e Diomário. Esse filho Asfalto é um calo no sapato dos três e eles vão querer o aborto desse filho chamado Asfalto. A briga é pelo aborto, mas isso é coisa proibida e ninguém pode saber quem vai conseguir essa desgrameira. Caso não seja possível, a confusão entre os três vai ser para a adoção desse filho chamado Asfalto. Vão meter o governador Rui e o senador Otto nessa embrulhada. A desgraça nem chegou nesse mundo e já está causando um reboliço do cão. Vocês vão ver o resultado disso tudo!

Porque a realidade do prefeito MB é o sonho do povo de Ipirá; o homem disse que vai comprar uma VAN e vai transformá-la em U.T.I. O povo de Ipirá tem que tomar muita garapa para agüentar o tranco. O sujeito tem duas ambulâncias do SAMU 192, emparedada, encaixotada, enferrujando dentro de uma garagem, sem utilidade alguma, tendo despesa e, dizendo aos senhores que a prefeitura não tem condições de bancar o serviço, por isso não funciona; e a solução apresentada para o SAMU é uma VAN U.T.I. Imagine bem imaginado: não tem condições de sustentar duas ambulâncias do SAMU, mas tem para sustentar uma VAN U.T.I.? Essa é a nossa realidade: ou o prefeito MB está ‘ruim da cabeça ou está doente do pé’.

Você pode comprar uma cidade, sim. Não é Ipirá! Para comprar essa cidade chamada Ipirá tem que ser um traficante de cocaína possuidor de 47 aviões, 200 fazendas e que venda 800 toneladas de droga para a Europa. Agora, você pode comprar um livro que tem uma cidade dentro dele e essa cidade poderá ser Ipirá, para tal basta acessar o site: https://www.amazon.com.br e adquirir o eBook ‘A PRAÇA DA BANDEIRA E OUTRAS BANDEIRAS’. Obrigado e boa leitura.

Por Agildo Barreto

Compartilhe nas redes sociais!