A defesa do ex-presidente Michel Temer protocolou um pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) durante a tarde desta quinta-feira (21). Em nota divulgada pela Folha de S. Paulo, o advogado Eduardo Carnelós disse que a prisão aconteceu sem provas e serve apenas como troféu.

A defesa do ex-presidente também encaminhou um pedido para o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, que determinou a prisão, para que Temer seja mantido em uma sala da Superintendência da Polícia Federal. A determinação inicial é que ele fique detido em Unidade Prisional Especial da Polícia Militar na cidade de Niterói.

“Resta evidente a total falta de fundamento para a prisão decretada, a qual serve apenas à exibição do ex-presidente como troféu aos que, a pretexto de combater a corrupção, escarnecem das regras básicas inscritas na Constituição da República e na legislação ordinária”, argumenta Carnelós.

O advogado classificou a prisão como um “dos mais graves atentados ao estado democrático e de direito no Brasil”. A investigação contra o ex-presidente foram resultado das operações Radioatividade, Pripyat e Irmandade, que tiveram como base delações premiadas firmadas.

Fonte: Bahia Notícias

Compartilhe nas redes sociais!