Um uma noite de segunda-feira (4) de Carnaval extremamente atípica para as Polícias Civil e Militar, duas mulheres foram executados dentro de um intervalo de uma hora em Vitória da Conquista. As vítimas foram identificadas como sendo Maria dos Anjos Ferreira Santos, idade não mencionada, executada por volta das 19 horas em um bar no bairro Henriqueta Prates, e Larissa Ramos de Oliveira, de 23 anos, assassinada por volta das 19h45 no bairro Vila Elisa.

Os dois homicídios são investigados pela Delegacia de Homicídios (DH). Enquanto a motivação da morte de Maria é apurada, Larissa foi identificada como companheira de um traficante preso. Ela pode ter sido morta por vingança contra o detento, pela facção rival.




Maria

Por volta das 19h10, a Cicom/PM foi comunicada sobre um homicídio consumado no Bairro Henriqueta Prates. Uma mulher, posteriormente identificada como sendo Maria dos Anjos Ferreira, estava com amigos bebendo em um bar, quando um indivíduo armado se aproximou, sacou um revólver e atirou diversas vezes na vítima, à queima roupa. Sem chances de socorro, Maria morreu no local. Sob apoio da Polícia Militar, investigadores da Delegacia de Homicídios (DH), em conjunto com agentes do DPT, realizaram levantamento cadavérico e tentaram obter informações de testemunhas oculares. Até o momento não existem pistas sobre a autoria e a motivação do assassinato da jovem.



Larissa

Enquanto o DPT e a DH realizavam levantamento cadavérico no Henriqueta Prates, um chamado foi irradiado pelas linhas de comunicação policiais, indicando a ocorrência mais um assassinato, desta vez no bairro Vila Elisa. O crime ocorreu por volta das 19h45. Ao chegarem no local, com apoio da Polícia Militar, os investigadores rapidamente identificaram a vítima, como sendo Larissa Ramos de Oliveira, de 23 anos. Segundo testemunhas, a jovem estava com familiares em sua residência, quando teria sido chamada até o portão.



Ao atender, recebeu diversos disparos, também à queima roupa, caindo e morrendo em questão de minutos. Familiares viram o portão aberto e a garota agonizando. O autor do crime já teria desaparecido. Não se sabe se o atirador estava com comparsas, a pé ou em um veículo. Foi apurado que Larissa é companheira de um traficante preso em Conquista. Uma das linhas de investigação indica que ela pode ter sido morta por vingança à esse detento, por uma facção rival, já que ela não possuía antecedentes criminais. A DH segue investigando os dois crimes. Os corpos já foram liberados aos familiares pelo plantão do IML.

Fonte: Jornal Impacto



Compartilhe nas redes sociais!