Feira de Santana pode ter o recurso de reconhecimento facial permanente. Foi o que deu a entender a fala do secretário da Segurança Pública (SSP-BA), Maurício Barbos, durante balanço da micareta, ocorrido nesta segunda-feira (29).

Foto: Davi Cerqueira / Acorda Cidade

Conforme o secretário, a intenção seria utilizar o recurso em locais de grande aglomeração. Usado pela primeira vez na cidade durante a micareta, o recurso ajudou na prisão de 33 acusados com mandados de prisão em aberto.

Em Salvador, a tecnologia já foi usada no último carnaval, como também nas estações de metrô, na Arena Fonte Nova, nas estações de ônibus da capital e no aeroporto.

Conforme Barbosa, a intenção agora é ampliar o recurso para cidades com maior população no estado.

Ainda segundo o secretário, 1,3 milhão de faces de pessoas foram detectadas durante a micareta. Do total, 904 foram de alerta e 33 tiveram confirmados mandados judiciais abertos. Dos detidos havia oito acusados de homicídio.

Por Bahia Notícias