Após determinar a suspensão dos contratos que mantinha com o Instituto Médico de Gestão Integrada (Imegi), a prefeitura de Salvador abriu cotação emergencial para contratar organizações sociais para gerir duas unidades de saúde que antes eram geridas pelo Imegi, alvo da Operação Kepler que apontou suposto superfaturamento, desvio de recursos públicos, peculato e lavagem de ativos na contratação da empresa pela Secretaria Municipal Saúde de Salvador (SMS).

Conforme Diário Oficial do Município, em uma edição extra, o Executivo municipal lançou a contação para contratação de entidade qualificada como Organização Social para atuar na Gestão, Planejamento, Operacionalização e Execução das ações e serviços de saúde na Unidade Especializada Multicentro de Saúde Carlos Gomes e Unidade Especializada Multicentro de Saúde Liberdade Prof. Bezerra Lopes.

Em audiência na Câmara Municipal de Salvador (CMS) na quarta-feira (24), o secretário Luiz Galvão falou que, com a suspensão dos contratos, a prefeitura está realizando o pagamento para servidores da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Paripe diretamente.

Fonte: Bahia Notícias