O vereador Marcos de Dadá em sua fala na tribuna da Câmara de Vereadores nesta terça-feira (2) explanou sobre temas de relevância como a situação da Casa dos Estudantes de Ipirá, em Salvador, a revisão salarial dos servidores públicos do município, o projeto de isenção de impostos para empresas e o projeto que possibilitará empréstimo de R$10 milhões ao Executivo.

Casa dos estudantes

Sobre o tema, Marcos cobrou soluções e providencias do Poder Público, que em oportunidades anteriores se comprometeu a resolver a situação da Casa. Até o momento, nada foi feito.

Revisão salarial dos servidores públicos

O vereador cobrou que o Executivo cumpra e conceda o que é de direito dos servidores e repudiou a falta de compromisso do gestor municipal. “Deixo aqui o meu apoio, e o meu repúdio a falta de palavra, falta de compromisso do prefeito, que mandou para esta casa o projeto, foi votado e hoje ele diz não tem condições de pagar”. Afirmou.

Projeto de isenção de impostos para empresas

Sobre o projeto, o vereador Marcos ressaltou que o objetivo da intervenção dos vereadores de oposição NÃO é prejudicar a empresa Paquetá, grande geradora de emprego e renda do município, mas sim favorecer também pequenas empresas do município. “Sabemos da importância da Paquetá aqui em Ipirá, o que seria Ipirá hoje sem a Paquetá?! Mas também, no nosso modo de entender, não podemos deixar de tentar favorecer ou ajudar as pequenas empresas que não tem mil funcionários”. Salientou.

Empréstimo de R$10 mi ao Executivo

Marcos classificou o polêmico projeto como “o cúmulo do absurdo”, além de questionar se o montante será de fato aplicado no município, caso o projeto seja aprovado. “Uma gestão que já vinha com uma desconfiança, e agora comprovado que não tem condição nenhuma de gerir o município com responsabilidade, não tem condição também de nós confiarmos”.

Marcos também ressaltou que o objetivo dos vereadores da bancada de oposição NÃO é barrar o progresso e desenvolvimento de Ipirá, e sim garantir que o valor seja aplicado de forma correta. “Que esse dinheiro, ou outro dinheiro qualquer, caia na conta de uma pessoa que tenha responsabilidade, que tenha comprometimento com esse dinheiro e o aplique de maneira correta”. Afirmou o edil.

Assessoria de Comunicação da Bancada de Oposição na Câmara de Vereadores de Ipirá

Compartilhe nas redes sociais!