A Polícia Federal desencadeou novas etapas da Operação ‘Acesso Negado’ desde as primeiras horas desta quinta-feira (4). A ação desarticula uma organização criminosa responsável por desvio de recursos públicos. As informações são do G1.

A assessoria de imprensa da Polícia Federal confirmou que os policiais estiveram nos municípios de Salvador, Aracaju, Poço Redondo, Frei Paulo, Macambira, Campo do Brito e Petrolina. Não houve prisões, apenas foram cumpridos mandados de busca e apreensão. O alvo das investigações são as fraudes em licitações no ano de 2015.

Desta etapa participaram 76 policiais federais, que cumprem 27 mandados de busca e apreensão expedidos pela 6ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Itabaiana (SE), abrangendo os Estados de Sergipe, Bahia e Pernambuco, além de medidas cautelares de proibição de contratar com o poder público por parte da OSCIP e de bloqueio de cerca de R$ 440.000,00 do patrimônio dos investigados.

As novas fases investigam irregularidades na contratação, pelos Municípios de Frei Paulo, Macambira e Poço Redondo, da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), denominada Instituto Sócio Educacional Solidariedade (ISES).

Investigações
As investigações indicam que, “após se sagrar vencedora de um concurso de projetos eivado de vícios do qual resultou a sua contratação pelas Prefeituras de Frei Paulo, Macambira e Poço Redondo, o ISES celebrou diversos contratos superfaturados com pessoas físicas e jurídicas integrantes de seu próprio grupo econômico, que, por sua vez, não prestavam os serviços a que estavam obrigados, de forma que a organização criminosa apenas recolhia para si os vultosos valores pagos pelo ente municipal”.

De acordo com a PF, essa operação se trata da terceira, quarta e quinta fases da operação desencadeada inicialmente em novembro de 2015 e com segunda fase deflagrada em fevereiro de 2019. No dia 12 de fevereiro, com cerca de 80 policiais federais. Eles cumpriram 18 mandados em Salvador, Feira de Santana, Juazeiro, na Bahia, Petrolina (PE) e Aracaju.

Fonte: Bocão News