A prefeitura de Ipirá (BA), determinou que os veículos que fazem o transportes de passageiros do município, que geralmente estacionavam na praça José Leão dos Santos, estacionem de agora em diante, nas imediações do Centro de Abastecimento.

A praça José Leão é inegavelmente a principal praça comercial da cidade. A retirada dos veículos para outra localidade desagradou muito os comerciantes da localidade, principalmente os ligados aos setores de supermercados, roupas, farmácias e panificadoras.

Para os comerciantes da localidade, os veículos de passageiros provenientes de todas as partes do município, ao estacionarem na praça movimentava o comércio da localidade.
Continua Depois da Publicidade

CDL e vereadores precisam defender os comerciantes locais

“Esta medida do prefeito vai retirar muito do nosso movimento. Estamos desesperados com a medida”, disse um gerente de supermercado da localidade, concluindo: “Esperamos contar com o apoio da comunidade, da CDL e principalmente dos vereadores do nosso município, vereadores estes que são bem pagos pela comunidade, fazem muito teatro nos dias das sessões, mas na prática pouco estão fazendo em relação a defenderem os interesses feridos da nossa comunidade”, concluiu o gerente.

Cerca na praça tornou a localidade visualmente desagradável

“Esta praça historicamente faz parte da história comercial de Ipirá. Com esta medida todos os setores comerciais da praça vão sofre muito em seus movimentos comerciais. Todos os comerciantes estão desesperados. Vamos tomar todas as providências cabíveis em busca de uma solução viável a todos os comerciantes da localidade”, disse outro grande comerciante do ramo de calçados e confecções da localidade, complementando: “Além da medida de retirar os transportes de passageiros da praça, os comerciantes reclamam da cerca que interdita grande parte da praça. A praça teve uma grande parte cercada, interditada, tornando o espaço físico da localidade pequeno e visualmente desagradável”, concluiu o comerciante.

Obras de requalificação da praça estão paradas

Com início das atividades de requalificação, de acordo com a placa da obra, em 07/01/2019, até o momento (mais de cinco meses), apenas foi feito a retirada de entulhos do Mercado de Artes, e a demolição dos dois quiosques. A obra não sai do lugar.

Além da retirada do transporte de passageiros, por ser uma praça comercial, os comerciantes locais temem que a obra arraste-se durante meses e meses, a exemplo da praça São José, que é uma praça central e também importante, que foi cercada e suas obras se arrastam há mais de dois anos, deixando os comerciantes e moradores da localidade aflitos, onde muitos já jogam pragas no prefeito.

O povo não sabe o que realmente será construído na praça

Infelizmente, apesar de tratar-se da principal praça comercial da cidade, não se sabe com clareza quais são as obras públicas de “REQUALIFICAÇÃO TOTAL DO MERCADO DE ARTES E PRAÇA JOSÉ LEÃO DOS SANTOS“, citadas na placa da obra.

A imprensa e o povo não sabe claramente quais são estas obras. Há mais de cinco meses que o povo espera que os vereadores saibam e possam esclarecer quais são, em detalhes, estas obras a serem executadas na praça.

Por Orlando Santiago Mascarenhas
www.ipiranegocios.com.br