As mensagens de Telegram supostamente trocadas entre o ministro da Justiça Sergio Moro, quando ainda era juiz, e procuradores da Lava Jato, publicadas hoje em reportagem do Intercept Brasil, deixaram Brasília e Curitiba com a respiração presa.

As mensagens atribuídas aos principais nomes da Lava Jato revelam falta de isenção de integrantes do Ministério Público Federal (MPF) no Paraná e de Moro ao tratarem de membros do PT e do caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Se a veracidade das mensagens for confirmada, a reportagem publicada domingo pode ter desdobramentos políticos e jurídicos. Mas o que está deixando o centro do poder em pânico neste momento é outra coisa. Se os jornalistas do Intercept Brasil de fato tiveram acesso a todo o arquivo do Telegram de Moro, qualquer pessoa pública — do STF, do MPF, do Planalto ou de partidos políticos, entre outros — que tenha trocado mensagens com Moro poderá passar por momentos constrangedores para explicar eventuais transgressões, vieses ou simplesmente palavras mal colocadas.

Fonte: Revista Época