O ministro da Economia, Paulo Guedes , teve ocelular hackeado , na noite desta segunda-feira. A informação foi confirmada pela assessoria do Ministério da Economia.

Por volta de 22h30, o telefone do ministro entrou para o aplicativo de mensagens Telegram. Depois, a assessoria de Guedes informou que o ministro teve o celular clonado.

O ministro da Economia disse ao colunista do GLOBO Lauro Jardim que não entrou no aplicativo e chamou os responsáveis pela invasão de “bandidos” .

Guedes é o segundo ministro do governo a ser alvo de hackers. Antes dele, o ministro da Justiça, Sergio Moro, relatou que o celular foi invadido.

No começo de junho, a assessoria de Moro contou que o hacker invadiu o aparelho e ligou para o próprio titular da linha. O ministro achou estranho, mas atendeu a chamada. Momentos depois, o invasor acessou o Telegram de Moro, que suspeitou ser vítima de um golpe. O ministro da Justiça trocou de linha, e a Polícia Federal abriu inquérito para apurar o caso. Provas obtidas pela PF apontaram que o hacker se passou pelo ex-juiz e enviou mensagens para seus contatos.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) também afirmou, no fim de semana, que teve seu telefone celular clonado na madrugada de domingo. A líder do governo no Congresso publicou vídeo em suas redes sociais no qual relatou ter recebido ligações do seu próprio número. Segundo ela, mensagens foram enviadas a partir de sua conta no Telegram ao colunista do GLOBO, Lauro Jardim.

Procuradores da Lava-Jato também denunciaram a invasão de suas comunicações. O GLOBO mostrou na ocasião que o ataque hacker foi mais amplo do que se imaginava e atingiu o “coração” da operação.