Mary Elizabeth Moore foi acusada de maus-tratos às duas filhas menores em Jay, Oklahoma, nos Estados Unidos. Na última sexta-feira terminou o julgamento da norte-americana que foi considerada culpada e condenada a sete anos de prisão com pena suspensa.

As duas crianças tinham três e cinco anos quando foram vítimas de violência doméstica por parte da progenitora.

As autoridades só descobriram o que aconteceu quando as meninas foram internadas nos cuidados intensivos da unidade hospitalar de Jay.

De acordo com a acusação, Mary deixou as filhas passarem fome de tal forma que estas estavam subnutridas quando deram entrada no hospital. Aliás, segundo o Oklahoma’s News4, as crianças tiveram que ser alimentadas por sondas, dado o estado de saúde frágil que apresentavam.

Uma das menores disse à assistente social que foi espancada por brincar e rir e que ainda foi obrigada a comer fezes de cachorro, o que lhe deixou vermes no organismo.

Um dos polícias que acompanhou o caso garantiu que se as crianças não tivessem sido internadas e o hospital não tivesse denunciado a situação, as meninas teriam morrido.

Por: Notícias ao Minuto