A empresa de ônibus Star Viagem e Turismo, que se envolveu em um acidente com mais de 40 mortos na manhã desta quarta-feira (25), em Taguaí (SP), não tinha autorização para operar, segundo informações da Agência de Transporte do Estado de São Paulo, a Artesp.

G1 apurou que a empresa já foi multada várias vezes e era considerada clandestina pelo órgão fiscalizador. Nem no site da Artesp nem no da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) há registros sobre a Star Fretamento e Locação Eirelli EPP – empresa criada em 2016 e com sede em Taquarituba, segundo dados da Junta Comercial do Estado.

O veículo envolvido na batida, com placa DJC 8811, acumula 11 multas – 2 municipais, 1 do Detran e 8 do D.E.R. Além disso, estava com IPVA, licenciamento e DPVAT atrasados, ou seja, não poderia estar em circulação. São mais de R$ 5 mil em débitos.

Exatamente um ano atrás, em 25 de novembro de 2019, o ônibus recebeu duas multas, uma por estar em mau estado de conservação e outra por defeito na iluminação/sinalização.

Segundo a Artesp, “a empresa não possui registro para transporte de passageiros e roda ilegalmente desde 11 de outubro de 2019”.

A agência também detalhou as fiscalizações mais recentes que envolveram a Star Viagem e Turismo: “No mês de março de 2020 foram registradas algumas infrações à empresa: no dia 3, a Star foi multada por realizar fretamento irregular na Rodovia Raposo Tavares, próximo ao km 296, em Avaré, ao realizar o transporte de 30 estudantes, que saíram da cidade de Fartura com destino a faculdade de Avaré. A empresa foi autuada, multada, o veículo foi retido e realizada a retirada dos passageiros. No mesmo dia, uma nova multa foi aplicada à empresa, por transportar, irregularmente, 43 estudantes com a mesma origem e destino. Dois dias depois, a empresa recebeu nova autuação por fretamento irregular na Rodovia Raposo Tavares (SP 270), próximo ao km 372, em Ourinhos, quando tiveram dois veículos autuados, retidos e realizado o transbordo dos 15 passageiros.”

Em nota à imprensa, no entanto, a empresa negou irregularidades. “Toda a documentação relativa ao veículo envolvido no trágico acidente está em conformidade com os órgãos governamentais e em perfeita validade”, afirmou.

A empresa disse ainda que está prestando auxílio às vítimas e que se solidariza com os familiares.

Até a última atualização desta reportagem, o G1 não havia conseguido contato com nenhum representante da empresa.

Fonte: G1