O governador da Bahia do PT, Rui Costa, fez balanço de gestão na qual destacou um ‘abandono’ por parte do Governo Federal de projetos no estado, em áreas como a de infraestrutura e saúde. A afirmação foi feita em vídeo de divulgação do Governo do Estado, acessado pelo BNews nesta terça-feira (29).

O petista ainda detalhou quais projetos gostaria que fossem concluídos no estado, ainda durante a sua gestão. Na análise dos obstáculos, ele responsabilizou a falta de parceria com a União, que por meio do governo federal, liderado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) teria criado obstáculos para a realização de contratos.

“Aquilo que não consegui fazer está atrelado com algo onde precisaria de alguma participação do governo federal, mesmo que fosse apenas uma autorização. Então, poderia citar a transposição de água da região Norte do nosso estado. Temos o projeto da Codevasf pronto, que gostaríamos de ter realizado, com objetivo de levar água ali para o Senhor do Bonfim e Campo Formoso, região do semiárido que tem uma escassez de mananciais. Nós não conseguimos fazer. E tive que buscar alternativas. A alternativa foi integrar e ligar com grandes adutoras as barragens, buscando trazer maior estabilidade no abastecimento de água. Ainda tem o anel de contorno de Feira de Santana, que hoje está caótico. E ali é uma BR. Se pudesse, teria feito até com recurso próprio, como estamos fazendo a ligação Ilhéus-Itabuna, que também era uma estrada federal, mas estou fazendo com recurso próprio. Ali tem uma faixa fora do domínio federal que não necessita de autorização. Mas não conseguimos fazer o contorno de Feira. Tem ainda a solução da questão do pedágio da BR 324 e BR 116, que está inconclusa até hoje. Gostaríamos de ter resolvido, mas é contrato do governo federal. Assim como todo o planejamento que gostaríamos, através do PAC, da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), para tirar ela do centro de Cachoeira, São Felix, fazendo com que passe por Feira de Santana, assim como a recuperação da rodovia Centro Atlântica que liga o Porto de Aratu até Juazeiro. E ao Sul liga até Brumado”, disse Rui Costa.

Ainda segundo o governador, todas as vezes em que foram feitas solicitações para tocar algum dos projetos na Bahia, o governo federal não emitiu autorização. Ele acrescentou que espera que o governador eleito Jerônimo Rodrigues (PT), junto com o presidente eleito Lula (PT), possam dar seguimentos para pautas importantes para a economia baiana.

“Sei da escassez de recursos da União. Mas, tendo como ajudar a Bahia, a gente cria uma forma de conseguir recurso, até mesmo com a iniciativa privada ou com PPP [Parceria Público-Privada] que possam ser materializadas com o pagamento ao longo dos anos”, conclui o governador.

Fonte: Bnews