Um caso de violência doméstica é investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), após o marido, com a suspeita de que estaria sendo traído pela mulher, se aproveitar do momento em que a vítima dormia para a imobilizá-la e corta o cabelo dela. Preso, o suspeito disse que só não mataria a companheira por ela ser mãe dos filhos dele.

O crime ocorreu na Vila São José, em São Sebastião, na madrugada do último sábado (28/5). Junto havia 7 anos, o casal teria terminado no passado e reatado o relacionamento recentemente. O homem disse que a mulher poderia dormir em sua casa e que ela iria embora no dia seguinte. Frio, o suspeito teria simulado um ar de tranquilidade, para deixar a vítima à vontade. Porém, ao pegar no sono, a jovem relatou a polícia que acordou com o então companheiro sobre ela, lhe impossibilitando qualquer reação, enquanto, com uma tesoura, picotava todo o cabelo dela.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) foi acionada e, quando chegou ao local, encontrou a vítima aos prantos, com um dos filhos no colo, implorando por socorro. Ela explicou a situação aos militares, e disse que o suspeito teria agido em represália, ao desconfiar que teria sido traído por ela.

Além da agressão física, o homem ameaçou a vítima, dizendo que só não a mataria por ter dois filhos com ela, um de 3 e outro de 1 ano e quatro meses. O caso é investigado pela 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião).

Fiança de R$ 4 mil

Quando os policiais prenderam o agressor, ele confessou que cortou os cabelos da companheira por conta da suposta traição. Os policiais encontraram vários tufos de cabelo, embaixo da cama e no colchão, que foram apresentados na delegacia. A PCDF arbitrou fiança de R$ 4 mil, mas o homem acabou solto após audiência de custódia. A mulher aceitou ficar sob medida protetiva.

Fonte: Metrópoles