A casa da mãe de um homem que confessou ter matado a adolescente de 12 anos, identificada como Luana Marcelo, foi arrombada e incendiada nesta terça-feira (29), em Aparecida de Goiânia, em Goiás. As informações são do Corpo de Bombeiros de Goiânia. Um trecho do imóvel foi completamente tomado pelas chamas.

Contudo, a mulher não ficou ferida no acidente. No mesmo dia, o ajudante de pedreiro Reidimar Silva confessou o crime e indicou que executou a menina enforcada. Além disso, ele contou que conseguiu convencer a garota a entrar no carro dele ao contar uma história de que iria pagar um dinheiro que tinha como dívida aos pais dela.

Desde o último domingo (27), Luana estava desaparecida quando saiu para comprar pão. Dois dias depois, o corpo dela foi encontrado já enterrado no quintal da residência do criminoso. Por meio de imagens das câmeras de segurança, é possível ver Luana deixando a padaria com uma sacola na mão.

O circuito de monitoramento sequer funciona mais, na rua de casa. Apesar disso, a menina não foi mais encontrada com vida. De acordo com a delegada Caroline Borges Braga em entrevista ao G1, o ajudante de pedreiro confessou que tentou estuprar Luana.

Segundo relato pessoal, ele confessou que, na véspera do crime, ingeriu cocaína e ficou totalmente “alerta” com os efeitos da droga. Em seguida, o acusado resolveu sair de carro, na manhã de domingo, quando notou Luana andando na rua. Foi quando Reidimar encaminhou Luana à casa dele, onde tentou estuprar a menina.

No rosto de Reidmar, ficou registrado algumas marcas de unhadas no rosto e nos braços, conforme indicou a polícia, o que indica que Luana resistiu.

Fonte: Bnews