Você sabe o que é freio de arrumação?  Vou explicar da melhor forma possível: pense num ônibus da linha Mata Escura para o Campo Grande, via Barra. Pensou? Coloque dentro desse ônibus a lotação de um metrô. Botou? Tá repleto, lotado e entupido, com gente por riba, pelo assoalho, atochado nas portas e janelas. Uma verdadeira lata de sardinha, não cabe um mosquito da dengue. Tá apilado de gente com cara na sovaqueira e no quio-quio, uns dos outros. Calma! Isso é só o preparo do tempero para o freio de arrumação.

Coloque o nome desse ônibus Ipirá e bote como motorista o prefeito Marcelo Brandão. Pronto! Aí é que começa a arrumação do ônibus. Nas poltronas preferenciais, o motô-prefeito colocou, preferencialmente, a família dele, é claro, e meia dúzia de amigos. Tá tudo pronto para o freio?
Calma, ainda não! Tem que ter uma ladeira. Pense no seguinte: o ônibus Ipirá vai descendo uma ladeira, um precipício, melhor dizendo, aí o prefeito-condutor acelera e bota 120 por hora, descendo o precipício. Aí você pensa: “êta, que a bagaceira vai ser grande!”

Que nada! É bom você saber, que só tem airbag para o motorista-prefeito, sua família e a meia dúzia de amigo. Aí você grita: “VALHA-NOS NOSSA SENHORA SANTÍSSIMA MÃE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO QUE A PERDIÇÃO VAI SER GRANDE!” Não bote o nome da santa nessa estória porque ela não tem culpa no cartório.

A habilidade do prefeito-condutor é muito grande, ele dá um cavalo de pau e o ônibus Ipirá está descendo o precipício de ré, com 140 por hora. “nos salve, prefeito Marcelo Brandão!” vocifera a população.

O prefeito Marcelo Brandão não dá ouvidos para a população. O homem não ouve ninguém. Não tá nem aí para os reclames nem para o que pensa a população. Tá se lixando se está faltando gaze na UPA; se o Hospital de Ipirá não tem UTI; se as ambulâncias do SAMU estão enferrujando numa garagem; se a Casa do Estudante está virando um entulho; se vai faltar um ônibus para levar os universitários para Feira de Santana; se não tem ônibus escolar transportando alunos da zona rural; se os moradores do Puxa estão transtornados com os tapumes; se a Praça do Mercado está uma bagunça; se o comércio de Ipirá está se lascando; se a feira de animais vai acabar… O prefeito Marcelo Brandão, o condutor do município, não este nem aí para esses questionamentos-problemas.

E o freio de arrumação? Calma, que o prefeito está engatando a quarta macha na descida do ônibus Ipirá precipício abaixo. “Vixe, que a desgraceira vai acontecer!” pensa você.

Vai nada! A salvação de Ipirá ainda é o prefeito Marcelo Brandão. O prefeito quer dez milhões de reais para calçar as ruas que o governador Rui assinou a ordem de serviço do calçamento. Agora, é que Ipirá afunda de vez. O prefeito e o governador querendo salvar Ipirá! Junta os dois e não somam meia dúzia de obras em Ipirá.

E o freio de arrumação? Fica na tua, gente fina! Primeiro, o prefeito Marcelo Brandão tem que botá a mão nesse empréstimo de dez milhões da CEF; tem mais dez milhões dos ambulantes do Centro de Abastecimento; com dez milhões do estacionamento da Praça do Mercado; adicionados aos dez milhões dos precatórios dos professores (prá que professor quer dinheiro?); somados aos dez milhões de multa no trânsito; com mais dez milhões de IPTU; adicionados aos dez milhões do Zona Azul o prefeito MB vai salvar o ônibus Ipirá. Não sabes fazer conta? De dez em dez se ultrapassa o trilhão de Paulo Guedes.

Deixa de prosa ruim, cadê o freio de arrumação?  Vou começar pelo freio de arrumação dentro da Câmara de Vereadores de Ipirá. A Reforma Eleitoral proibiu a coligação nas eleições proporcionais. Todo partido tem que sair com sua chapa própria, Esmiuçando e exemplificando, vamos citar como exemplo o vereador Jaildo do Bonfim, que controla um partido, que não poderá coligar com nenhum outro, daí, esse partido terá que atingir um coeficiente eleitoral de mais de 2.300 votos nas eleições municipais de 2019.
Resultado à vista: o partido do vereador sozinho não atingirá esse salgado coeficiente, para vencer o obstáculo o vereador terá que deixar o partido ou filiar candidatos com votação robusta ao seu partido.  Esse é o beco sem saída em que se encontra o PT de Ipirá para 2020, ou abre espaço para vereadores com peso eleitoral ou não fará um vereador em Ipirá. Quando havia coligação o PT de Ipirá sempre manteve um mandato, sem coligação sempre ficou no vazio.

Essa regra não vale para as eleições majoritárias, aí é permitido aos partidos fazerem coligações. Em Ipirá, a coisa caminha para duas candidaturas dos grupos jacu e macaco.

O ônibus Ipirá está descendo a ladeira do precipício. Quem sobe a ladeira pela contramão é o deputado Jurandy Oliveira, com dez mandatos nas costas, sem nenhuma conquista relevante para o município de Ipirá, agora, como um milagre dos céus, esse deputado, que completará quarenta anos de mandato, resolveu salvar Ipirá com doação de ambulâncias, tratores, poços artesianos, sinal de telefonia móvel e, de boca, está conseguindo verba para a feira de animais e até asfalto para o centro da cidade. Essa alma está querendo alguma coisa! Inclusive, até mesmo, por ser contra o freio de arrumação dentro da macacada.

Subindo a ladeira, achando que representam a salvação do ônibus Ipirá, além do deputado, estão Dudy e Aníbal. Para não ter desarrumação, tem que ter freio de arrumação.

Praia do Forte, Bahia, Brasil, numa confortável mansão, os dois expoentes-mor do grupo da macacada de Ipirá, estavam reunidos, saboreando champagne e deliciando-se com lagosta japonesa, cada um tendo que tirar do bolso do paletó o nome do condutor do ônibus Ipirá para 2020; de um paletó saiu a letra D.., do outro paletó saiu a letra D.., e viva o freio de arrumação da macacada, que para tentar dirigir o ônibus Ipirá em 2020 poderá ser Dudy, Dazinho, Dezinho, Dadinho, Damaceno e até mesmo Dió, só não dá prá ser Anibal.

Aníbal não é um nome do agrado da oligarquia dos macacos, pode ser até do agrado do eleitorado macaco, mas não é da elite macaca. Aníbal tem até setembro de 2018 para tomar uma posição e encontrar um partido para aprender a dar freio de arrumação e assumir a vontade do partido, se vacilar e não conseguir isso vai ter que disputar a vice com Nina, a esposa do deputado. Quem não tiver competência para dar o freio de arrumação estará fora.

E o ônibus que ia para o Campo Grande, via Barra, não teve freio de arrumação? Não. O condutor do ônibus Ipirá, o prefeito Marcelo Brandão, não quer deixar o filé de jeito nenhum, quer continuar dirigindo Ipirá até 2024. O ônibus chegou à Barra, justamente, no dia do Carnaval, justamente, com uma lotação selecionada, o condutor MB, a família e ‘meia-dúzia de seis’ de amigos e, com aquele fuzuê do carnaval, o prefeito-condutor do ônibus Ipirá, o MB, pensou com toda convicção: “em 2020, vou realizar 300 dias de micareta em Ipirá para salvar esse município”

E para você entender melhor o que é freio de arrumação, basta você adquirir o livro que detalha esse negócio aí, para tal basta acessar o site:https://www.amazon.com.br e adquirir o eBook ‘A PRAÇA DA BANDEIRA E OUTRAS BANDEIRAS’. Obrigado e boa leitura.

Por Agildo Barreto