Se encerraram nesta quarta-feira (13) as investigações realizadas pela Delegacia Territorial (DT) sobre o desaparecimento de José Santos Queiroz, após a prisão do suspeito de mata-lo com golpes de machado e atear fogo ao corpo.

De acordo com a delegada Gabriela de Diego Garrido, responsável pelo pedido de prisão preventiva do investigado, o crime ocorreu após uma briga. Os dois consumiam bebida alcoólica quando uma calorosa discussão se iniciou, resultando na morte da vítima. O suspeito atacou José e o escondeu já morto dentro da própria casa e após dois dias ateou fogo ao corpo.

Os policiais conseguiram localizar o veículo do suspeito na região do Ribeirão da Toca, zona rural de Belo Campo, e lá encontraram documentos e outros pertences da vítima.

O machado utilizado no crime foi apreendido e será enviado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para perícia. O suspeito confessou o crime e será submetido ao exame de lesão corporal, depois será levado ao sistema prisional.