Um ônibus da empresa Rosa, que fazia a linha Condomínio Asa Branca via Pampalona, foi assaltado por volta das 9h40 desta terça-feira (27) por um homem armado, que saqueou cerca de 40 passageiros que estavam a bordo do veículo e a cobradora.

Foram levados celulares e outros pertences das vítimas. O bandido entrou no veículo no Terminal Central e ao chegar no bairro Pampalona, anunciou o assalto. O motorista informou ao Acorda Cidade que ele foi surpreendido pelo homem batendo a arma em seu ombro e ordenando que não parasse o carro.

Foto: Aldo Matos/ Acorda Cidade

“Ele pediu pra eu não parar o carro, pra seguir em frente. Só que eu não percebi que era um assalto, pois eu estava prestando atenção à via, quando ele bateu o revólver no meu ombro e começou a me xingar. Pediu os pertences da cobradora e saiu saqueando todo mundo e ameaçando. Voltou pra mim, sendo que eu tirei o celular e botei embaixo, ele ficou contestando se eu não tinha celular e eu falei que não. Fiz até um ato de agressividade pra ele acreditar que eu não tinha mesmo. Ele voltou para os passageiros pra saquear”, afirmou o motorista.

Bandido foi espancado

Ele disse ainda que ao chegar nas imediações da praça do bairro Asa Branca, o assaltante pediu para descer e saiu andando normalmente. Ele prosseguiu e alguns passageiros pediram que parasse novamente, que iriam ao encontro do bandido. “Eu segui viagem, na volta eu vi o tumulto na rua. Ele já tinha trocado de roupa, de camisa, e o pessoal foi em cima. Quando eu vi ele estava todo espancado.”

O suspeito foi entregue à Polícia Militar e em seguida os policiais o encaminharam para uma Policlínica.
Segundo a cobradora, que também não quis revelar o nome, o celular dela foi levado. “Ele anunciou o assalto, já com a arma na mão, pediu pra eu passar o celular e foi saqueando os outros passageiros. Ele estava sozinho, mas saqueou todos.”

A cobradora salientou que os rodoviários vivem expostos à violência. “Estamos vulneráveis a assaltos.”

O motorista e a cobradora compareceram ao Complexo de Delegacias do Sobradinho e registraram a queixa.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.