m bebê de nove meses morreu dentro de uma ambulância em frente ao Hospital Manoel Novaes, em Itabuna, no sul do Estado, por volta das 4h desta segunda-feira (25). A criança teve o atendimento negado duas vezes em unidades de saúde diferentes por não estar na lista de regulação.

A mãe, Misna Nonato Alves, da reserva indígena Taquari, em Pau Brasil, começou a peregrinação em busca de atendimento pediátrico para o filho Levi Messias Nonato Alves, na tarde de domingo (24), no hospital de Pau Brasil, após os sintomas de falta de ar da criança continuar. Eles seguiram de ambulância para Maternidade Ester Gomes, onde foi negado atendimento e de lá foeam ao Hospital Manoel Novaes, onde esperam por mais de 40 minutos, também sem receber atendimento, porque a criança não tinha o nome na lista de regulação da unidade de saúde. O bebê perdeu os sinais vitais na porta do hospital.  

Somente após o protesto do advogado Davi Pedreira, que gravou um vídeo da situação e entrou no hospital para falar sobre a falta de atendimento, a mãe e o bebê, já desfalecido, entraram para receber atendimento no Hospital Manoel Novaes, mas a equipe atestou a morte da criança. 

Imagens enviadas ao BNews mostram o momento em que a mãe está em frente do hospital aguardando atendimento para o filho. 

O motorista da ambulância de prenome Fábio, em entrevista exclusiva ao BNews, relatou os momentos de tensão que passou com a mãe a espera de um atendimento. “Por volta das 4h50 cheguei na porta do Hospital Manoel Novaes, falei que era um caso grave, mas eles falaram que não poderiam atender se não tivesse regulado. Por sorte, um advogado, que estava fazendo caminhada gravou a situação e conversou com as pessoas do hospital, que liberam o atendimento, mas já era tarde. A criança morreu”. 

Além da genitora ter que lidar com a perda do próprio filho, precisou enfrentar a burocracia para liberar a certidão de óbito. “O hospital não liberou o atestado de morte, informaram que o Hospital de Pau Brasil que deveria liberar o documento. Estamos esperando, e só voltamos para Pau brasil com essa documentação”, afirma o motorista. 

Em nota, a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, que administra o Hospital Manoel Novaes, informou que desde o dia 1º de agosto, o Hospital Manoel Novaes atende mediante regulação, ou em transporte de Unidade Avançada e Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), além dos casos que explicitem urgência. A assessoria explicou que a criança chegou às 5h15 na unidade e às 5h20min, a recepção do Hospital Manoel Novaes recebeu uma ligação seguida de e-mail da Central de Regulação informando do encaminhamento de paciente que necessitava de vaga na UTI Pediátrica. “Neste momento, se correlaciona o paciente que estava na porta, ao pedido de regulação. A criança foi autorizada a entrar, recebendo o primeiro atendimento às 5h35min. Segundo registro médico, o paciente recebeu atendimento, sendo tentado reanimação pela equipe, tentativas sem êxito, constatando óbito 5h58min”.

Veja vídeo: 

Fonte: Bocão News

COMPARTILHE