Um grande número de pessoas ao tomar conhecimento de que o individuo identificado como Juliano Souza de Jesus Useda, 32 anos, tinha se apresentado na manhã desta quinta-feira (18) na Delegacia Territorial de Pé de Serra acompanhado de advogados foi para a frente da especializada e aguardou a saída dele.

Duas guarnições da 90ª Companhia Independente da Polícia Miliar sediada em Riachão do Jacuípe, assim como da Polícia Civil permaneceram durante todo tempo na frente da Delegacia, mas o clima de tensão aumentou quando os policiais estavam conduzindo o acusado para uma viatura, sob gritos por justiça e assassino, populares protestaram, alguns mais exaltados se aproximaram da viatura na tentativa de agredir o homem.

De acordo com informações do delegado Michael Alves, o acusado se entregou na DT acompanhado de advogados, foi feito todo interrogatório e concluiu o inquérito. ” Ele vai agora responder em liberdade até que a justiça decida por uma prisão preventiva, não tem passagem pela polícia, tem emprego, residência fixa e a justiça entende que não cabe preventiva, apesar do crime bárbaro cometido”, disse.

O crime

Aconteceu no fim da noite do último domingo, 14, por volta das 23h na Rua Bem-te-vi.  A vítima Janaina Sampaio da Silva, 26 anos, companheira de Juliano foi morta com um tiro na cabeça.

Segundo relatos de vizinhos davam conta que Juliano teria chegado em casa alcoolizado e discutiu com a própria e um desentendimento com a própria mãe (dele), a esposa tentou acalmá-lo quando foi atingida por um disparo de arma de fogo.

Ainda de acordo com relatos, a jovem tentou fugir com a criança no colo, a criança não foi atingida, mas machucou a boca na queda.

Redação CN | Jacuípe News