Em meio à escalada da crise entre os Poderes, o presidente Jair Bolsonaro demonstrou a auxiliares e aliados, nos últimos dias, não estar disposto a baixar o tom.

Segundo ao menos três ministros e auxiliares presidenciais ouvidos pela coluna, Bolsonaro estaria “decidido” a deixar de cumprir decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que considerar “ilegais”.

Auxiliares do chefe do Palácio do Planalto dizem que ele estaria disposto a descumprir decisões “ilegais” sobretudo dos ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

Moraes e Barroso estão na mira de Bolsonaro há alguns meses em razão de decisões que atingiram aliados do presidente da República e por terem atuado contra a aprovação do voto impresso no Congresso.

Redesenho
Em uma tentativa de moderar o chefes, ministros do governo levaram a Bolsonaro, nos últimos dias, uma proposta de pedir ao Congresso a criação de uma comissão especial para redesenhar os poderes e seus limites.

O presidente da República, no entanto, resiste à ideia, por ora. Segundo auxiliares, Bolsonaro só aceitaria rediscutir a função dos poderes caso o pedido de impeachment de Moraes avance no Senado.

Fonte: Metropoles