O ato contra os cortes no orçamento das universidades e institutos federais pelo Ministério da Educação reuniu mais de 70 mil pessoas em Salvador, na manhã desta quinta-feira (30), segundo os organizadores. A manifestação começou no Campo Grande, por volta das 10h, e encerrou na Praça Castro Alves, às 12h40.

Foto: Rodrigo Daniel Silva / Bahia Notícias

No ato, os manifestantes levaram cartazes e gritaram palavras de ordem contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Eu sou estudante e não abro mão de mais pesquisa e educação”, gritaram.

Na manifestação, que teve a presença de entidades e sindicatos, também teve protesto contra outras pautas, como a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a reforma da Previdência. Os manifestantes disseram que era uma “luta unificada” de estudantes e trabalhadores. “Bolsonaro, vá se fuder, não vou trabalhar até morrer”, gritaram, ao se referir a proposta do governo de mudança no regime de aposentadoria.

Ainda no protesto, sindicalistas anunciaram uma greve geral para o dia 14 de junho.

Fonte: Bahia Notícias

COMPARTILHE