Por determinação do Vaticano, os restos mortais de Irmã Dulce serão transferidos para um novo túmulo após a canonização da beata.

O sepulcro foi confeccionado pelo artesão Laecio Abreu, de Santaluz, na região do Sisal. O profissional também já havia projetado o antigo jazigo.

A cerimônia de canonização de Irmã Dulce acontecerá no dia 13 de outubro, no Vaticano, numa cerimônia que tornará o Anjo Bom da Bahia a primeira santa do Brasil. Após ser canonizada, ela se tornará Santa Dulce dos Pobres.

Foto: Divulgação