Policiais rodoviários federais realizaram nesta quarta-feira (12), das 8h às 20h, intensa fiscalização voltada para os veículos de transporte de cargas e seus itens de segurança. As atividades aconteceram de forma simultânea em todas as regiões do estado e é parte da Operação Rodovida 2019/2020, que consiste em um conjunto de esforços integrado com outros órgãos para reduzir a violência do trânsito.

A ação teve como objetivo coibir condutas irregulares na execução desse tipo de transporte e possíveis ilícitos criminais, contribuindo assim para a fluidez do trânsito, conservação do pavimento asfáltico da rodovia e segurança dos usuários nas rodovias federais.

Durante as abordagens foram fiscalizados os equipamentos de uso obrigatório, em especial: faixas refletivas, sistema de iluminação, sistema de freios, suspensão, condições dos pneus e cronotacógrafo. Os condutores dos veículos foram submetidos ao teste de alcoolemia (bafômetro). Também foram intensificadas ações de combate ao excesso de peso e às dimensões excedentes e verificado se os motoristas estão cumprindo o horário de descanso (11 horas de descanso para cada jornada de 24 horas).

Os veículos que apresentaram irregularidades foram autuados (multados) e, nos casos em que não foi feita a regularização, os veículos ficaram retidos.

No decorrer da operação, 730 veículos foram fiscalizados com abordagem, 399 autos de infração emitidos, sendo 76 relativos a problemas nos equipamentos obrigatórios ou não possuíam.

Há que se ressaltar que das 190 toneladas de mercadorias com excesso em veículos de carga retirados de circulação na operação, cerca de 92 toneladas (91.198 quilos) foram flagrados na Região do Extremo Sul (Eunápolis e Teixeira de Freitas), o que representa quase 50% do total.

A operação temática contou com a participação de agentes federais lotados nas unidades policiais instaladas nos mais de 10.000 quilômetros de estradas federais, com foco na prevenção e redução da gravidade dos acidentes de trânsito e combate à criminalidade nas rodovias que cortam a Bahia.

COMPARTILHE