O governo da Bahia pretende buscar parceiros para a venda do Parque de Exposições, Centro de Convenções e do terreno que compreende o Detran e a Rodoviária de Salvador. A afirmação foi feita pelo próprio governador do Estado, Rui Costa (PT), nesta quarta-feira, 23.

“Vamos convidar todo mundo interessado em conhecer as áreas e elaborar projetos. Vamos fazer o leilão desses locais e vender a área dos Centro de Convenções, Parque de Exposições e outras áreas na cidade e no estado”, explicou durante a entrega da contenção de encosta na Rua Fé em Deus, no bairro do IAPI.

Conforme disse Rui, o estado deve trabalhar na publicidade internacional e desenvolvimento de projetos para as vendas. A comercialização dos espaços foi uma forma encontrada para cobrir o recurso da contrapartida para a construção da ponte Salvador-Itaparica, orçada em R$ 1,5 bilhão.

O contrato vencido pelo Consórcio Ponte Salvador-Itaparica, formado pelas empresas estatais Chinesas CCCC e CR 20, em dezembro do ano passado, em um leilão na bolsa de valores de São Paulo, tem custo estimado de R$ 5,3 bilhões.

Desse total, R$ 3,8 bilhões serão desembolsados pelo consórcio chinês e R$ 1,5 bilhão pelo governo do Estado. A concessão do projeto executado por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) será de 35 anos.

A equipe de A TARDE procurou a Secretaria de Turismo, para saber mais informações sobre o impacto desta venda no setor de entretenimento, porém, até o momento, não obteve retorno. A Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), pasta que administra o Parque, também foi procurada.

Inaugurado em 30 de setembro de 1978, o Parque ocupa uma área de 450 mil metros quadrados, entre as avenidas Paralela e Dorival Caymmi, no bairro de Itapuã, próximo ao Aeroporto Internacional de Salvador. Sedia eventos agropecuários, como a Exporural e a Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro).

O espaço também recebe eventos dos mais variados tipos, como festivais e apresentações musicais nacionais e internacionais, como o Vila Mix e o Festival da Cultura Japonesa.

Fonte: A Tarde