A polícia baiana já tem indicativo de autoria dos responsáveis pelos últimos ataques a bancos ocorridos, nesta terça-feira (17), em Amélia Rodrigues, e no início do mês, em Conceição de Feira. Sistemas de defesa implementados por instituições financeiras após reunião com a Secretaria da Segurança Pública auxiliaram na inutilização das cédulas, durante o ataque ocorrido nesta madrugada.

De acordo com o diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) , delegado José Bezerra, os suspeitos das últimas ações criminosos são remanescentes de quadrilhas já alcançadas durante a operação ‘Aerárium’, que já encontrou 29 criminosos, apreendeu 25 armas e recuperou cerca de R$ 350 mil em espécie. “Também foram cumpridos 52 mandados de busca e apreensão”, detalhou.

A adoção de estratégias para prevenção e proteção das instituições bancárias foi discutida durante encontros entre integrantes da cúpula da SSP e da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), entre elas, o entintamento das cédulas para dificultar a utilização dessas notas.

O secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, lembrou que estes procedimentos inibem a ação dos criminosos. “No último ataque, as notas estavam entinturadas, o que impede o uso do dinheiro. Isso é resultado de uma colaboração entre bancos e a SSP”, lembrou o gestor.

As ações de combate ocorrem em conjunto entre as forças de segurança estaduais (Polícias Civil e Militar) e federais (Polícias Federal e Rodoviária Federal).