Para coibir um problema de segurança pública que afeta os grandes centros urbanos do Brasil, a Neoenergia Coelba passou a adotar medidas para inibir o furto de cabos de energia na Bahia. Esse tipo de ação criminosa é considerado um dos principais ofensores externos à operação da distribuidora. Utilizando as equipes de inteligência, a empresa está mapeando os locais com reincidência e substituindo as caixas da rede subterrânea. Essas ações visam dificultar a prática ilegal.

As inciativas são ainda mais necessárias no cenário em que o furto de cabos e equipamentos que compõem a rede elétrica apresentam crescimento no Estado. No ano passado, a Neoenergia Coelba registrou 1.422 ocorrências de roubo em seus ativos, número 21% maior que o apurado em 2021. Além de ilegal, a prática gera prejuízos à sociedade e representa riscos de segurança à população.

Além das ações supracitadas, a concessionária investe em tecnologia, inspeções, acompanhamento e ações conjuntas​ com outras empresas e autoridades policiais. A distribuidora conta, ainda, com o apoio da Secretaria de Segurança Pública, que formou o Comitê de Combate ao Furto de Cabo de Cobre no estado da Bahia.

“Como resultado do Comitê, iniciamos em 2022 a “Operações Metallis”, em conjunto com empresas de Telecom, Metrô e a Secretaria de Segurança Pública. As ações integradas buscam identificar os criminosos e receptadores dos materiais furtados da rede elétrica. Na ação, foram fiscalizados 13 estabelecimentos comerciais e recuperados mais de 5 toneladas de cabo de cobre furtado. Todos os estabelecimentos com materiais ilícitos foram fechados e tiveram o alvará de funcionamento cancelado pela Prefeitura além de ser instaurado um inquérito policial”, destacou o Gerente de Segurança Corporativa da Neoenergia Coelba.

Além das interrupções de energia provocadas pelo furto de cabos, a prática requer que técnicos da distribuidora, que poderiam estar realizando ações de melhoria na rede elétrica ou atendendo outras demandas, precisem se deslocar para resolver a ocorrência. Em 2022, cerca de 2.500 equipes precisaram ser acionadas para trabalhar em situações de roubo de fiação.

A distribuidora também registrou furto em equipamentos que compõem a rede elétrica, prejudicando tecnologias que são implantadas no sistema de distribuição de energia. “Percebemos um aumento no furto dos chamados cordões umbilicais, por exemplo. Sem este equipamento, manobras remotas na rede elétrica, que normalizariam as unidades consumidoras em caso de uma interrupção, não podem ser realizadas”, destacou o Gerente de Desempenho da Neoenergia Coelba, Vinícius Dutra.

Riscos para a população

Além de ilegal, o furto de cabos é realizado por pessoas não capacitadas e autorizadas, podendo ocasionar um acidente grave – e até fatal, com quem pratica o ato e com as pessoas ao redor. Existem também os prejuízos à iluminação pública. Com as ruas sem iluminação, há o aumento da sensação de insegurança.

Também são registrados furtos de cabos da rede subterrânea. Esta prática vandaliza as caixas, muitas vezes deixando-as abertas, o que pode gerar um acidente com quem está passando pela via.

Para ajudar a inibir a prática, a população pode ser uma importante aliada da Neoenergia Coelba e demais órgãos. Os baianos têm à disposição um canal gratuito e anônimo, o 181 da Secretaria de Segurança Pública.

Siga-nos no Instagram e acompanhe as notícias no Google News – Participe do nosso grupo no WhatsApp