A manifestação é em repúdio aos fazendeiros acusados de assassinarem, no domingo (21), a indígena Maria de Fátima Muniz e ferindo vários outros indígenas, dentre eles o Cacique Nailton Muniz. 

O MST na Bahia repudia a ação violenta do grupo de fazendeiros, ao tempo que exige do Estado uma investigação célere sobre esse grupo, que os indígenas chamam de milicianos. O grupo é acusado ainda de praticar diversas ações criminosas na Bahia, “atuando como se fosse um estado paralelo e agindo por cima da lei”, diz uma nota do MST.

Nos últimos dois anos, 7 indígenas foram assassinados na Bahia, que tem um governador que se declara indígena. 

Fonte: Bahia 40 Graus