A Polícia Federal cumpre na manhã desta quarta-feira (23), nos municípios de Salvador e Catu, seis mandados de busca e apreensão em operação para desarticular esquema que desviou mais de R$ 7,5 milhões da Previdência Social. O principal alvo da ação é um servidor público federal lotado na agência do INSS no bairro das Mercês, na capital baiana.

Dos mandados, cinco são cumpridos em Salvador e um em Catu. A estimativa é de que 75 benefícios de Previdência Social tenham sido fraudados desde 2017. No entanto, ao longo das investigações, o número pode se revelar maior.

A Justiça Federal, que expediu os mandados, também decretou o afastamento do funcionário das funções públicas e o bloqueio e sequestro de bens e valores em nome dos investigados. a operação tem apoio também da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.  

Conforme apurado, pelo menos desde 2017, o servidor público fraudava processos de aposentadoria, aumentando irregularmente o tempo de contribuição. Há indícios de que, para isso, valendo-se de fragilidade do sistema de cálculo de contribuições individuais, lançava valores bem abaixo do efetivamente devido, permitindo o pagamento de quantias irrisórias para o cômputo de tempo de contribuição, bem como alterava ou incluía vínculos empregatícios fictícios com a mesma finalidade. 

As investigações apontam também que o servidor do INSS tinha o auxílio de terceiros na captação de clientes e que recebia, em retribuição às fraudes implementadas, valores pagos pelos beneficiários do esquema criminoso, por meio de transferências e depósitos em contas bancárias gerenciadas por ele. A movimentação bancária do servidor investigado indica o recebimento de transferências e depósitos de terceiros em montante superior a R$ 1,5 milhão de reais desde 2017.

Fonte: Bahia Notícias