Uma mulher trans que vive em situação de rua foi linchada, no Centro de Salvador, após supostamente cometer furtos em uma loja. O caso aconteceu na Avenida Sete de Setembro e chegou à redação do BNews através do Grupo Gay da Bahia (GGB).

O vídeo começou a circular nas redes sociais nesta semana. Nas imagens, a mulher identificada como Gadu, de 18 anos, é agredida por supostos seguranças das lojas do comércio varejista localizada no Beco das Frutas, no Centro de Salvador. 

O caso causou revolta e indignação.

Confira o vídeo:

Ao GGB, um familiar da vítima relatou que “ele não foi pego com nada”, e continua: “ele é dependente da droga”, conclui o parente, que se refere à vítima como “ele”.

Ao site, o GGB destacou que não é a favor de nenhum tipo de prática de delito, ao tempo que repudia esse tipo de tortura pactuada com os lojistas da região. Confira o posicionamento da entidade:

O GGB não é contra a contratação de seguranças, porém vale ressaltar que esses profissionais devem ser pessoas capacitadas e treinadas para o exercício legal da função nas respectivas lojas ou região. Ao tempo em que também se opõe intrinsecamente à prática da ação de seguranças paralelos, e não identificados, para atuarem impondo suas leis e fazendo seu próprio tribunal.

Qualquer delito em flagrante, a conduta indicada é chamar as autoridades policiais e conduzir a pessoa à delegacia da área. Imobilizar o indivíduo, sem uso de violência, colocar ao seu lado o objeto subtraído, chamar a polícia e um preposto acompanhar até a delegacia, inclusive levando o objeto furtado. Não é justificável a prática e exibição da violência.

A fala dos homens praticando a tortura “para servir de exemplo aos seus amiguinhos”, é reveladora.

Fonte: Bnews