O entregador Olindo de Jesus Pacheco Júnior, de 31 anos, estava trabalhando na tarde de quarta-feira (29) quando atendeu uma solicitação no IAPI, em Salvador. Ao passar pela Rua Antônio Balbino, por volta das 16h, ele teria sido abordado por traficantes da localidade conhecida como Milho. Os criminosos queriam saber onde Olindo morava.

A vítima foi retirada da moto pelos homens armados. Ao informar seu endereço, ela teria sido morto a tiros. A suspeita é de que o entregador vivia em uma localidade ocupada por traficantes rivais de criminosos do Milho.

De acordo com informações da TV Bahia, a família de Olindo afirma que ele não tinha envolvimento com o tráfico de drogas e que era um homem querido por todos que o conheciam. Ele deixa um filho de cinco anos. O corpo do entregador será sepultado nesta quinta (29).

De acordo com a Polícia Militar, policiais da 37ª Companhia Independente (CIPM) foram informados de que um homem havia sido atingido por disparo de arma de fogo na Rua Antônio Balbino. “No local, a guarnição encontrou a vítima sem sinais vitais e acionou o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para realização da perícia e remoção do corpo. Autoria e motivação são investigadas pela Polícia Civil”, diz o órgão em nota.

Outro crime

Em junho deste ano, uma jovem de 21 anos foi assassinada por traficantes do Milho porque tinha fotos no celular com homens que fazem parte de uma facção criminosa rival. Beatriz Bispo dos Santos foi abordada por três homens armados.

Eles teriam exigido que a vítima desbloqueasse o aparelho telefônico e acessasse a galeria de fotos. Lá, teriam imagens dela ao lado de membros de um grupo criminoso que domina a localidade da Nova Divineia, também no IAPI. A jovem teria tentado argumentar que não tinha envolvimento com a criminalidade, mas os homens não a perdoaram.

Fonte: Bnews