Foto: Júlio Nascimento/PR

O ex-ministro da Saúde, Nelson Teich, começou a coletiva de despedida do cargo nesta sexta-feira (15), na sede do Ministério, dizendo que a saída foi uma escolha, e destacando que não aceitou o convite pelo cargo, mas porque achou que podia ajudar o Brasil e as pessoas. “A vida é feita de escolhas e eu hoje escolhi sair. Dei o melhor de mim nesse período aqui”, disse o ex-ministro que durante a fala não especificou o motivo pelo qual deixou a pasta. 

Teich apresentou carta de exoneração da chefia da pasta também nesta sexta, menos de um mês após assumir a função e substituir Luiz Henrique Mandetta no cargo.  

Os ministérios do governo Bolsonaro já sofreram mudanças de comando 11 vezes desde que o presidente Jair Bolsonaro assumiu em janeiro de 2019. As mudanças incluem rebaixamentos, pedidos de exoneração e troca de comando entre as pastas. Ao todo sete ministros deixaram o governo em definitivo. 

Durante o discurso o médico ressaltou que não é simples estar a frente de um Ministério como o da Saúde, principalmente em um período “tão difícil”. Em seguida fez agradecimentos à equipe da pasta. “Conduzir a saúde é trabalho de muita gente e de um grande time, tenho honra e prazer de estar ao lado dessas pessoas que sempre me apoiaram e trabalharam por esse país”, destacou Nelson Teich. 

Ele ainda ressaltou que a condução da Saúde é uma “missão tripartite”, que inclui o Ministério, o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e as secretarias estaduais e municipais.

Teich disse ainda que deixa a pasta com um plano estratégico traçado. “Foi iniciado e deve ser seguido”, acrescentou. “Deixo um plano de trabalho para auxiliar os secretários municipais, estaduais, prefeitos e governadores a entender o que está acontecendo e definir os próximos passos”, afirmou. 

Por fim, Teich agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro a oportunidade de ter feito parte do Ministério da Saúde. “Era uma coisa muito importante para mim”, destacou Teich ao citar que foi criado sistema público, uma fez que estudou a vida inteira em instituições públicas.

Por Bahia Notícias