Quando o governo federal anunciou mais duas parcelas do auxílio emergencial, ainda ficou a dúvida com relação aos pagamentos. Afinal de contas, como será feito? Segundo informações recentes, o ministro da economia, Paulo Guedes, já teria convencido o presidente Jair Bolsonaro sobre como as próximas parcelas do auxílio emergencial serão pagas.

A primeira informação importante é que ao invés de duas, serão quatro parcelas. Mas ainda assim, o valor total será de R$ 1,2 mil.

O beneficio teve que ser estendido por conta da crise causada pela pandemia, que ainda está longe de acabar. Por isso, no dia 1º de julho, o governo anunciou mais dois pagamentos à desempregados, profissionais liberais e autônomos.

Pagamento do auxílio emergencial

Com as quatro parcelas definidas, resta saber o valor de cada uma delas. Elas não serão pagas em valores iguais, como havia se especulado anteriormente.

Informações indicam que, de acordo com a nova estratégia de Paulo Guedes, seria mais vantajoso realizar um pagamento de R$ 500 no final de julho e outro pagamento de R$ 100 no início de agosto. Para finalizar, seriam pagas mais duas parcelas de R$ 300, ainda no mês de agosto.

Pagamento pelas contas poupanças digitais

Vale lembrar que, os próximos pagamentos devem seguir o que vem acontecendo com os atuais. São feitos dois calendários: um para pagamentos nas contas sociais digitais e outro para liberação do saque.

Essa medida serve para evitar filas e aglomerações nas agências bancárias. Normalmente, são mais de 20 dias de distância entre uma data de outra.

Mas saiba que pelo Caixa Tem é possível movimentar o dinheiro de forma segura. O app não permitirá que o dinheiro seja transferido para a conta bancária antes da liberação.

Mas é possível efetuar pagamento de contas e boletos, além de compras em estabelecimentos físicos e online usando o QR Code.

O usuário precisa gerar um cartão de débito virtual e pronto. Pode fazer compras em estabelecimentos credenciados para tal.

O Caixa Tem pode ser baixado gratuitamente nas lojas Google Play Store e Apple Store. O app está disponível gratuitamente para usuários Android e iOS (Iphone).

Fonte: FDR