No Dia das Mães, o presidente Jair Bolsonaro resolveu chamar amigos e familiares para um churrasco no Palácio da Alvorada. No menu, estava, dentre outras carnes nobres, uma picanha que custa R$ 1.799,99 o quilo, informou o blog Cozinha Bruta, do jornal Folha de S. Paulo.

O churrasqueiro que serve esse “mimo” foi ‘importado’ diretamente de Belém, capital do Pará. Ele atende por dois apelidos: “Tchê” e “Churrasqueiro dos Artistas”.

Em sua página de Instagram, Tchê aparece ao lado de celebridades como Romero Britto, Eri Johnson e Damares Alves. O Alvorada também é presença constante nas publicações.

Em um post de domingo (9), o churrasqueiro aparece com Bolsonaro e dois pacotes de carne. A embalagem era personalizada: charge do presidente, slogan “Brasil acima de tudo” e o nome do frigorífico.

Era o Frigorífico Goiás, que lançou a “picanha Mito”.

Ao ligar para o revendedor, o Cozinha Bruta descobriu que a picanha Mito estava em falta, mas era possível comprar a mesma carne com outra embalagem. Picanha de gado da raça wagyu, de origem japonesa, por módicos R$ 1.799,99 o quilo. Uma peça tem em média R$ 350 g e custa cerca de R$ 600.

A festinha do Planalto teve pelo menos duas dessas picanhas. Um total de R$ 1200 em 700 g de carne.

Não se sabe se o presidente pagou pelo luxo, mais caro que um salário mínimo, ou se foi um presente dado por apoiadores.

Fonte: Correio24Horas